“Dançando na Praça” comemora primeiro aniversário com muito samba

Iniciativa da Secretaria Municipal de Cultura fará homenagem ao Dia do Samba com diversas atrações especiais

Comentar
Compartilhar
29 NOV 201217h09

Reunindo admiradores de todos os ritmos nas noites de sábado, na Praça 14 Bis, em Vicente de Carvalho, o projeto “Dançando na Praça” prepara uma programação especial para o seu primeiro aniversário de atividades. A atração será realizada neste sábado (01), em comemoração ao Dia Nacional do Samba – celebrado em 2 de dezembro.
 
A festa contará com a participação do Grupo Elipsodal, formado por atores do Município. O grupo contará a história do samba do ponto de vista do “malando carioca” de modo poético e atrevido.
 
O chorinho, um estilo da música popular brasileira, também estará presente na festa. Dois grupos do gênero, o Chorando Baixinho e o Amigos da Música farão as apresentações. Os professores de dança de salão e o grupo Kalatrio, atrações fixas de todo sábado, também alegram a festa.
 
A escola de samba GRES Unidos da São Jorge encerra a noite, com a presença do casal de mestre-sala e porta-bandeira, rainha de bateria e passistas da escola. Na ocasião será feita a apresentação do samba enredo do carnaval 2013.
 
O evento contará com a parceria da Secretaria Municipal de Saúde, que realizará no local testes de HIV gratuitos e distribuição de preservativos em menção ao “Dia Mundial da Luta contra a AIDS” – celebrado neste sábado, 01 de dezembro.

A atração será realizada neste sábado (01), em comemoração ao Dia Nacional do Samba (Foto: DIvulgação)
 
Homenagem

Será realizada uma homenagem ao DJ Bira, que colaborava com o “Dançando na Praça” e faleceu no último dia 14 de novembro.
 
Projeto

O dançando na Praça é coordenada pela Secretaria Municipal de Cultura e acontece semanalmente aos sábados, a partir das 19h30. O projeto conta com apresentação de artistas locais e a atuação de professores de dança de salão que conduzem os participantes a arriscarem passos nos mais variados ritmos: samba, forró, xaxado, MPB, pagode, samba-rock, entre outros.
 
A presença dos professores não pode ser caracterizada como uma aula, mas apenas uma colaboração para aqueles que querem ter um pouco mais de desenvoltura durante a atividade.
 
No início do ano, o projeto fez uma homenagem ao centenário do Rei do Baião, Luiz Gonzaga, com atrações específicas de ritmos nordestinos.

Colunas

Contraponto