Celebração da Fé no Dia de Corpus Christi

Tapetes e procissão na comemoração do Cristo Vivo, nas ruas da Cidade de Santos

Comentar
Compartilhar
26 FEV 201322h33

Ruas no entorno de igrejas de Santos, tomadas de um colorido especial, na manhã ensolarada de ontem. Aos poucos, a serragem, o pó de café, a casca de ovo, o plástico e as tampinhas de garrafas pet, os anéis de latinhas de alumínio, até botões e cartolina, transformaram-se, pelas mãos dos fiéis, em mensagens de paz e nos símbolos do cristianismo, estampados em tapetes criativos, para a procissão de Corpus Christi, uma das principais celebrações da Igreja Católica.

O Corpus Christi é a comemoração da presença viva de Jesus Cristo, entre os fiéis, através da Eucarística — a consagração do corpo e do sangue de Cristo, na forma de pão e vinho.

Na Paróquia do Imaculado Coração de Maria, na Vila Mathias, tapetes ornamentaram desde o corredor que leva ao altar até as ruas do quarteirão da igreja. Segundo a voluntária Helena Conceição Marques Domingues, membro do Conselho Missionário Paroquial (Comipa) da Igreja Imaculado Coração de Maria, ao todo foram confeccionados 150 tapetes.

“É o quarto ano que fazemos os tapetes. Este ano, é a primeira vez que montamos os tapetes em todo o quarteirão com a união de todas as pastorais da igreja”, explicou Helena, enquanto trabalhava na confecção, dentro da igreja.

De acordo com a voluntária Sheila Maria Santos Garcia, membro da pastoral da Espiritualidade e da Liturgia, os temas explorados nos tapetes, além da Eucaristia, são a Amazônia —tema da Campanha da Fraternidade 2007 — e uma homenagem ao padroeiro da Igreja do Imaculado Coração de Maria, Santo Antonio Maria Claret.

“É uma alegria muito grande celebrar Jesus Cristo Vivo”, declarou Márcia de Oliveira Palucci, outra voluntária da paróquia. No Centro, a missa presidida pelo bispo diocesano, Dom Jacyr Francisco Braido, na Catedral Nossa Senhora do Rosário, reuniu uma multidão de fiéis, na manhã de ontem. A cerimônia começou às 9h30 e terminou por volta de 11 horas, quando religiosos e fiéis iniciaram a procissão com o Santíssimo até o Santuário de Santo Antonio do Valongo, fazendo antes uma parada na Igreja do Rosário, na Praça Rui Barbosa.

Na multidão, a expressão de fé em cada olhar, em cada terço erguido, em cada voz na oração e no canto em coro. Em uníssono, o júbilo à presença do Cristo Vivo, ao longo da Rua João Pessoa.

Orientados pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-Santos), jovens, adultos, idosos e religiosos, celebravam juntos a fé cristã. “A celebração de Corpus Christi é um ato de fé, na presença de Cristo na Eucaristia. Eu creio em Deus presente no meio de nós”, disse a aposentada Rute Prates, leiga consagrada à Igreja Particular.

“Sem Jesus Cristo não somos nada. Ele representa tudo na vida. Este é um momento de reflexão, de avaliação de como estamos vivendo, de transformação e, por isso, todos os anos, participo da procissão de Corpus Christi”, afirmou a escrevente Lindaura Oliveira.