As Cirandas de Maria: Auto de Natal nos ônibus de Santos

O formato inusitado de teatro itinerante em ônibus urbanos foi uma busca do grupo por espaços alternativos de apresentação, chegando mais perto das pessoas

Comentar
Compartilhar
18 DEZ 2017Por Caroline Souza13h01
O formato inusitado de teatro itinerante em ônibus urbanos foi uma busca do grupo por espaços alternativos de apresentaçãoO formato inusitado de teatro itinerante em ônibus urbanos foi uma busca do grupo por espaços alternativos de apresentaçãoFoto: Rodrigo Montaldi/DL

Pastorinhas vindas do Egito, que tentam encontrar o lugar onde acontecerá o nascimento do Deus menino, vão parar nos ônibus da orla de Santos no próximo final de semana. É dessa forma que se inicia a narrativa do auto de natal ‘As Cirandas de Maria’, realizado pelo grupo de Teatro de Pesquisas (TEP). Esta ação natalina denominada ‘Projeto Limites - Dramaturgia para ônibus urbanos’ começou nos anos 2000 e seguiu de forma ininterrupta por 13 anos. Este ano, após um hiato, o grupo volta a se apresentar.

O formato inusitado de teatro itinerante em ônibus urbanos foi uma busca do grupo por espaços alternativos de apresentação, chegando mais perto das pessoas que, muitas vezes, nunca tiveram a oportunidade de estar em um teatro.

“Quando as pessoas percebem que é uma apresentação teatral se divertem e a gente se aproxima do inconsciente delas, através dos olhares”, comenta o coordenador do projeto, Gilson de Melo Barros.

Com rimas e cantos, as pastoras se deparam com toda sorte de acontecimentos, sempre guiadas pela luz da estrela que aponta para os seus destinos. A encenação deste auto de natal ocorre nos dias 23 e 24 de dezembro, das 10 às 13 horas.

“A gente sobe no primeiro ônibus que passa na orla da praia e faz o espetáculo em torno de 17 minutos, ou seja, mais ou menos cinco pontos. Assim, conseguimos fazer dez apresentações por dia”, informa Barros.

O grupo também fará apresentações nos dias 05, 06 e 07 de janeiro. Todos os dias, por volta das 11h30, há uma apresentação campal, que acontece na praça do Aquário Municipal.

De acordo com o coordenador, a narrativa desenvolve-se a partir da apropriação de gêneros tradicionais da cultura brasileira que celebram tradicionalmente o ciclo natalino, como o Pastoril, Lapinhas e outras Cheganças, folguedos destinados a festejar e reverenciar o nascimento de Jesus Cristo, cujas bases originais estão fixadas em manifestações ibéricas datadas em registros que remontam ao século XII e que no Brasil foram introduzidos pelos jesuítas durante o período da nossa colonização.

Gilson de Melo Barros é também quem produz o texto e a direção do auto de natal. E o elenco conta com a participação de Bruna Telly, como Maria; Déia Oliveira, Estrela guia; Ernani Sequinel, Anjo Gabriel e Gaspar; Márcia Marques, Melquior; Tales Ordakji, Baltazar; Paula D’Albuquerque, Pastora, e Camila Baraldi como a Mestra das pastoras e Narradora das ações a acontecer. O trabalho conta ainda com figurinos de Lindalva Parolini e produção de Mauricio Garcia.

ProAc

A realização desta temporada do auto de natal, retomando a tradição do teatro itinerante, só foi possível porque o grupo conquistou um edital do Programa de Ação Cultural (ProAc), lançado pelo governo do Estado de São Paulo através da Secretaria de Cultura do Estado, para fomento de apoio à manifestações tradicionais de cultura.

“Sempre participamos, mas os editais são muito concorridos. Este ano, conquistamos o segundo lugar”, explica o coordenador. Ao todo, o edital recebeu 142 inscrições de todo o País. As manifestações culturais precisam acontecer no estado de São Paulo.

O projeto conta ainda com os apoios da Universidade Santa Cecília (Unisanta), Secretaria Municipal de Cultura de Santos e Viação ­Piracicabana.