SEDUC

Nova policlínica será entregue nos próximos 30 dias em Cubatão

Até o final do mandato, prefeito Ademário Oliveira também vai entregar novas moradias e um Bom Prato.

Comentar
Compartilhar
02 JUN 2019Por Caroline Souza09h15
Para o prefeito de Cubatão, a melhor saúde pública da região é a do município, único com pronto-socorro infantil da Baixada.Foto: NAIR BUENO/DIÁRIO DO LITORAL

A reabertura do Hospital Municipal e a a transferência de titularidade de áreas da União para o Município são ações que a Prefeitura de Cubatão se orgulha de ter conquistado nesse mandato. Em entrevista ao Diário do Litoral, o prefeito Ademário Oliveira afirma estar com os esforços voltados para a entrega da policlínica e de moradias para as famílias do Programa Serra do Mar.

Diário do Litoral - Quais os principais investimentos já realizados até este momento?

Ademário Oliveira - Na saúde temos a reabertura do hospital. O pronto-socorro tinha muita fila de espera, por não ter um serviço de triagem efetivo, e hoje é tudo informatizado. O programa saúde da família também foi reestruturado e é muito elogiado.

Também entregamos o Centro Esportivo Pita e o Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU) do Bolsão 8.

Diário - Quais as perspectivas até o final do mandato?

Ademário - Importante ressaltar que quando nós assumimos o governo, estávamos com mais de R$ 1 bilhão em dívidas, e o primeiro passo foi saldar essas dívidas com austeridade fiscal.

Agora, temos uma nova policlínica, que já está pronta para ser entregue, no Centro, e entra em funcionamento dentro de 30 dias. Também estamos fazendo toda a urbanização da Vila Esperança, o maior bairro periférico da Cidade. Até o final do ano vamos entregar o Bom Prato.

Nós temos muita área da união e no nosso governo nós conseguimos a titularidade da Vila dos Pescadores, da Vila Esperança e do Bolsão 8. Estamos em fase avançada também da titularidade da Vila Natal e Vila São José. A pessoa sai da condição de posseiro para titular. É uma entrega muito positiva para o cidadão. Também a construção de unidades habitacionais no CSU do Jardim Costa e Silva. Está em fase final e vai ser para moradores do Programa Serra do Mar até o final do ano.

Diário - Pais de alunos pediram a interdição da Unidade Municipal de Ensino João Ramalho por acreditarem que a estrutura estaria comprometida. Há risco para as crianças?

Ademário - Não há nenhum risco. Se fosse um caso de urgência o Ministério Público teria acatado, mas ele nem comunicou o Executivo ainda. O que aconteceu é que uma canaleta de seis metros trincou com um vendaval. No dia seguinte a manutenção já estava lá e a escola está em pleno funcionamento.

Diário - O vereador Antônio Vieira da Silva (PSDB) fez uma denúncia de suposta falta de manutenção nas escolas de Ensino Fundamental e Médio Municipais. O que o senhor tem a dizer?

Ademário - Quando você tem um risco iminente de infraestrutura, a interdição é de imediato. Quarenta e duas escolas sofreram intervenções no que diz respeito a manutenção, mas são escolas antigas. O Ministério Público acompanha a implantação de, por exemplo, acessibilidade, do AVCB. Cabe ao parlamentar fiscalizar, mas não fazer da representação um ato político.

Diário - Como avalia a rejeição, por parte da Comissão de Finanças do Conselho Municipal de Saúde, do Relatório Anual de Gestão (RAG) 2018, apresentado pela Secretaria de Saúde, alegando que houve redução nos gastos de saúde entre 2017 e 2018? Gastou-se pouco mais de R$ 145 milhões e cerca de R$ 139 milhões, respectivamente.

Ademário - A rejeição é política, o presidente do Conselho é candidato a vereador. O que dá rejeição de contas é você não ter o gasto mínimo. O teto mínimo você tem que gastar, mas a variação de investimento é um ato exclusivo do Executivo. Não tiramos investimentos, pelo contrário, nossos contratos na área da Saúde só aumentam.

Diário - O vereador Rafael de Souza Villar, o Tucla (PT), conseguiu aprovar na Câmara dois requerimentos solicitando da Prefeitura estudos de equilíbrio econômico-financeiro dos contratos dos prontos-socorros Central e Infantil, do SAMU e da UPA do Parque São Luiz, em função do suposto mau atendimento oferecido à população. O que o senhor tem a dizer?

Ademário - Para você fazer um aditamento contratual, você tem que ter primeiro todo um estudo prévio no orçamento, nós estamos no orçamento em plena execução e o vereador não pode interferir no seu ano orçamentário e financeiro. Hoje, a melhor saúde pública da região é a de Cubatão. Somos elogiados porque somos a única Cidade com um pronto-socorro infantil e que atende munícipes de toda a região.

Diário - Há investimentos previstos para a pasta de Educação?

Ademário - Sim, quatro novas escolas: três na Vila Natal e uma no Bolsão.

Diário - E para a área da Saúde?

Ademário - Nossos esforços agora são para entregar a policlínica e o nosso centro de oncologia e hemodiálise. A parte física já está toda estruturada, estamos na fase de compra de equipamentos, inclusive materiais importados. A previsão é até o final do ano.