1º de Maio

Festa em homenagem ao Dia do Trabalhador terá música e comida nordestina em Cubatão

Neste ano, a Frente Sindical Classista também participará do ato em homenagem ao 1º de Maio, o dia internacional em homenagem à classe trabalhadora

Nilson Regalado

Publicado em 01/05/2024 às 07:25

Comentar:

Compartilhe:

A Festa do Trabalhador reforça a mobilização iniciada nos últimos dias pela Frente Sindical Classista com a distribuição de um boletim relacionado às lutas da classe trabalhadora na região / Nilson Regalado / Diário do Litoral

A Associação dos Trabalhadores Desempregados de Cubatão e Região promove hoje a tradicional Festa do Trabalhador. O evento e começa às 14 horas, na sede da entidade, na Rua Cidade de Pinhal, 68, no Centro, em frente ao Restaurante Bom Prato de Cubatão. A programação inclui shows com os grupos Forró Sanfonado e Batuk Malícia. A Festa do Trabalhador também terá comida típica nordestina e espaço kids.

Neste ano, a Frente Sindical Classista também participará do ato em homenagem ao 1º de Maio, o dia internacional em homenagem à classe trabalhadora. Apesar de ter um caráter mais festivo que político, o ato deverá contar com a presença de lideranças sindicais e de defesa da cidadania da Baixada Santista.

A Festa do Trabalhador reforça a mobilização iniciada nos últimos dias pela Frente Sindical Classista com a distribuição de um boletim relacionado às lutas da classe trabalhadora na região. O impresso foi distribuído na travessia de barcas Santos - Vicente de Carvalho e também será entregue aos interessados durante a festa, em Cubatão.

Em São Paulo, o 1º de Maio será celebrado no estacionamento do estádio do Corinthians, em Itaquera. O evento será unificado, com a participação de oito centrais sindicais. Lideranças da Baixada Santista seguirão em ônibus fretado para a Capital.

A agenda de reivindicações inclui pedidos de emprego digno para todos, aposentadoria justa, valorização do serviço público, correção da tabela de isenção do Imposto de Renda e igualdade salarial entre homens e mulheres. O ato também terá apresentações musicais e começa às 10 horas.

No calendário litúrgico da Igreja Católica, o 1º de Maio celebra a memória de São José Operário, o santo padroeiro dos trabalhadores.

O 1º DE MAIO.

O Dia Internacional da Classe Trabalhadora é celebrado em quase todos os países do mundo, sendo feriado em muitos deles. A homenagem remonta ao dia 1º de maio de 1886, quando uma greve foi deflagrada na cidade norte-americana de Chicago com o objetivo de conquistar melhores condições de trabalho, principalmente a redução da jornada de trabalho de até 17 horas para oito horas.

Durante a manifestação houve confrontos com a polícia, prisões e mortes de trabalhadores. Este acontecimento serviria de inspiração para muitas outras manifestações que se seguiram. Estas lutas operárias culminaram numa série de direitos conquistados em legislações específicas de diversas nações, como a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), no Brasil.

TRABALHADORES NA FORCA.

Nos Estados Unidos, os sindicatos haviam estabelecido o prazo de dois anos para conseguir impor aos empregadores a limitação da jornada de trabalho para 8 horas. Eles iniciaram a campanha em 1º de maio, quando muitas empresas começavam o seu ano contábil, os contratos de trabalho terminavam e os trabalhadores buscavam outros empregos. Estimulada pelos anarquistas, a adesão à greve geral de 1886 foi ampla, envolvendo 340 mil trabalhadores em todo o País.

No dia 3 de maio, grevistas de uma fábrica foram recebidos por policias armados. O confronto resultou em três trabalhadores mortos. No dia seguinte, realizou-se uma marcha de protesto e, à noite, após a multidão ter se dispersado, restaram 200 manifestantes e policias. Foi quando uma bomba explodiu perto dos policias, matando um deles.

Em consequência desses eventos, os sindicalistas anarquistas Albert Parsons, Adolph Fischer, George Engel, August Spies e Louis Lingg, foram condenados à forca, apesar da inexistência de provas. Louis Lingg cometeu suicídio na prisão, ingerindo uma cápsula explosiva. Os outros quatro foram enforcados em 11 de novembro de 1887, dia que ficou conhecido como Black Friday.

INTERNACIONAL.

No dia 20 de junho de 1889, a segunda Internacional Socialista, em Paris, decidiu convocar anualmente uma manifestação, com o objetivo de lutar pela jornada de 8 horas de trabalho. A data escolhida foi o 1º de maio, como homenagem às lutas sindicais de Chicago.

Em 1890, a luta dos trabalhadores norte-americanos fez com que o Congresso aprovasse a redução da jornada para 8 horas diárias. Mas, até hoje, o governo dos Estados Unidos se nega a reconhecer a data como o Dia do Trabalhador. 

Em 1891, uma manifestação no norte de França foi dispersada pela polícia, resultando na morte de dez manifestantes. Esse novo episódio reforçou a data como um dia de luta dos trabalhadores. Meses depois, a Internacional Socialista de Bruxelas proclamou a data como dia internacional de reivindicação.

E em 1893 os trabalhadores condenados pelas manifestações em Chicago foram inocentados pelo governador do estado de Illinois, que confirmou ter sido o chefe da polícia quem encomendou o atentado para justificar a repressão que viria a seguir.

Em 23 de abril de 1919, o Senado francês ratificou a jornada de 8 horas e proclamou feriado o dia 1º de maio. Em 1920, a então União Soviética adotou a data como feriado nacional, sendo seguida por vários países.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Nacional

Estado de SP está com mais de 16 mil vagas de trabalho; confira os cargos

Oportunidades estão sendo disponibilizadas pelos vários PATs do estado

Santos

Litoral de SP recebe local para consultas médicas a preços acessíveis; veja o local

Unidade oferecerá uma gama de especialidades, incluindo clínica geral

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter