Campanha Metropolitana do Agasalho termina mas continua em Cubatão

Município já superou em 35% a marca de 2018

Comentar
Compartilhar
08 AGO 2019Por Da Reportagem10h40
Foto: Selley Storino

Com o total de 430.064 peças arrecadadas, superando as 404 mil peças reunidas no ano passado), foi oficialmente encerrada com ato comemorativo em Mongaguá, na manhã desta quarta-feira (7) a 14ª Campanha Metropolitana do Agasalho. Cubatão, como alguns dos municípios da Região Metropolitana da Baixada Santista (RMBS), prossegue ainda por mais alguns dias com as atividades, para coletar e distribuir roupas, agasalhos e cobertas às famílias mais carentes da Cidade, tendo contabilizado até agora 20,034 peças (35% mais que as 14.821 somadas na campanha de 2018).

Realizado no Clube da Melhor Idade de Mongaguá, o encontro, com a participação de representantes dos nove municípios da RMBS e da técnica Elizabeth Falcão, representando o Fundo Social do Estado de São Paulo, foi aberto pelo prefeito da cidade anfitriã, Márcio Melo Gomes, destacando a importância da campanha, "que é um marco da região e exemplo de trabalho metropolitano, de união bem sucedida". Ao parabenizar os municípios desta Região Metropolitana, lembrou que "quando se tem união, propósito e trabalho, o sucesso aparece, e o desafio agora é nos unirmos cada vez mais, para enfrentarmos nossos problemas comuns".

A titular do Fundo Social de Solidariedade de Mongaguá, Mônica Melo Gomes da Costa, falou de sua nova experiência nesse trabalho metropolitano, e de como a união das nove cidades foi importante para a obtenção dos resultados desejados: "Todos se movimentando com o mesmo objetivo, para que as famílias carentes pudessem ter um inverno mais quente". Citou ainda como esse entusiasmo contagiou a comunidade regional: "Foi grande o número de pessoas que desejavam instalar as caixas de coleta da Campanha do Agasalho, compreendendo ser este um trabalho sério".

Por sua vez, a titular do Fundo Social de Praia Grande, Maria Del Carmen Padin Mourão (Maruca) foi convidada a falar, com o lembrete de que ela participa desde a primeira campanha metropolitana, 14 anos atrás. Contou que foram experimentadas várias modalidades de trabalho ao longo dos anos, como uma carreata metropolitana para a coleta dos agasalhos, até se chegar ao modelo do Bazar Metropolitano, que neste ano se realizou em fins de junho na cidade de Santos.

E foi a presidente do Fundo Social santista, Maria Ignez Pereira Barbosa, quem apresentou os números finais da campanha, entre eles o resultado daquele Bazar – que arrecadou o valor correspondente a 1.666 mantas, distribuídas igualmente entre os nove municípios. Como lembrou, a inspiração para o Bazar foi a constatação de que mantas e cobertores tendem a ser menos doados, pois são peças reutilizadas por vários anos, e o objetivo foi assim cobrir essa lacuna com a possibilidade de aquisição conjunta dessas cobertas.

O encontro e a campanha metropolitana foram formalmente encerrados em seguida, com a entrega aos representantes dos Fundos Sociais de um mimo com o símbolo de Mongaguá, a imagem da padroeira da cidade, e uma apresentação especial do Grupo Artístico da Melhor Idade de Mongaguá.

 

Colunas

Contraponto