48ª Encenação da Paixão de Cristo de Cubatão acontece em abril

Espetáculo será realizado em 14 de abril no CSU, reunindo 150 pessoas em cena

Comentar
Compartilhar
30 MAR 2017Por Da Reportagem19h30
O evento terá sessão única e gratuita no dia 14 de abril, sexta-feira, às 20 horas, no CSUFoto: Divulgação/PMC

Entre a tradição cultural e os relatos históricos, a narrativa mais cultuada do Ocidente será recriada na 48ª Encenação da Paixão de Cristo de Cubatão. Com estimativa de acolher milhares de espectadores, o evento terá sessão única e gratuita no dia 14 de abril, sexta-feira, às 20 horas, no CSU - Parque do Trabalhador.

A realização é da Associação Incena Brasil, da Criar & Inovar Consultorias e Produções e do Governo Federal via Ministério da Cultura, tendo patrocínio da Ecovias e Elog Logística através da Lei de Incentivo à Cultura, com apoio institucional da Prefeitura Municipal de Cubatão por meio da Secretaria de Cultura.

"Do ponto de vista cultural, a Encenação é de grande importância, inserida no cotidiano das pessoas há 48 anos. Existe uma comunidade ansiosa de estar participando a cada ano no espetáculo", destacou o prefeito Ademário Oliveira, em coletiva de imprensa na última sexta-feira (dia 3). "E o patrocínio do evento cultural por meio da Lei Rouanet valoriza os artistas locais, fomenta a economia da cidade, enfim, todos nós ganhamos enquanto município".

Por sua vez, o presidente da Associação Incena Brasil, Manoel Messias Alves dos Santos, celebra: "A cultura é o caminho e, por isso, a nossa proposta é de que a 48ª Encenação contribua e expanda o viés social, com a capacitação de vários atores". É que, nesse ano, a montagem do espetáculo será aliada a um inédito programa pedagógico de oficinas culturais, capacitando 114 voluntários da comunidade.

Protagonista da próxima edição, o ator e produtor Gabriel Muglia se entusiasma: "É muito importante o evento, no sentido dele possibilitar e expor a potencialidade artística da população. Por isso, é tão fundamental o apoio público e a parceria com a iniciativa privada". Prevendo beleza plástica e artística, a produção do evento contará com o uso criativo de recursos tecnológicos, como projeções em telões. Além disso, o evento gratuito contará com a devida acessibilidade e segurança para o público.

Assim, a 48ª Encenação já é observada como uma iniciativa bem-sucedida, principalmente por atuar com as novas gerações, de acordo com o gerente de negócios da Elog, Jefferson Satyro. "Um ponto fundamental é reforçarmos os valores da nossa companhia através das parcerias que firmamos nos municípios onde temos atuação, e entendemos a importância cultural desse evento para a cidade".

"Um diferencial desse projeto é que além do evento em si, há as oficinas culturais, o que é fundamental para ampliar o leque na formação de atores e de agentes de cenotécnica para ingressarem e competirem no mercado nacional", ressalta o vice-prefeito e secretário de Planejamento, Pedro de Sá Filho. Por sua vez, o secretário de Cultura, Raul Christiano complementa: "Além disso, com este espetáculo, o Incena Brasil demonstra estar numa boa direção, realizando um projeto autossustentável e alcançando toda a comunidade".

Patrimônio Imaterial - Próxima de completar seu jubileu de ouro, a 48ª Encenação da Paixão de Cristo de Cubatão é uma das mais antigas do Brasil e está incorporada na cultura cubatense, fazendo parte do calendário oficial da Cidade.

Tudo começou em 1969, quando um grupo de jovens se preocupava em movimentar a cena cultural da cidade com a produção de um espetáculo teatral que envolvesse e mobilizasse grande número de artistas e pessoas da comunidade.

Com apoio do cônego Antônio Pedron, da Igreja Matriz Nossa Senhora da Lapa, foi elaborado o texto teatral e criada a Comissão Organizadora da Paixão e Morte de Cristo (COPMC), que obteve o apoio da Prefeitura para realizar a 1ª Encenação. A COPMC foi o embrião do Centro Organizador do Teatro Amador de Cubatão (Cotac), que por décadas realizou as encenações, papel herdado e desempenhado atualmente pela Associação Incena Brasil.

Realizado durante anos na Avenida 9 de abril, atualmente o espetáculo é montado em ampla área do Parque do Trabalhador - CSU, cujo terreno adaptado possui cinco palcos, montes e um lago artificial; tudo estrategicamente disposto para que a cada nova versão, com os cenários e os objetos cênicos adquiram as características da época trazendo realismo para a representação das histórias bíblicas. O sonho da comunidade é transformar aquela área num espaço cenográfico para a realização deste e de outros espetáculos.

Parceria estratégica
Recentemente foi estabelecida uma parceria estratégica entre a Associação Incena Brasil e a empresa Criar & Inovar Consultorias e Produções visando primeiramente a elaboração e aprovação do projeto sociocultural da Encenação no Pronac-Lei Rouanet e no Proac-ICMS, para a obtenção de recursos através das leis de incentivo fiscal.

A Associação Incena Brasil, que figura como proponente, divide atribuições com a Criar & Inovar, de acordo com suas experiências. Esta última realiza a gestão administrativo-financeira e coordena o projeto pedagógico das oficinas teatrais, além de compartilhar com a Incena a produção executiva e artística do espetáculo. Essa parceria conta também com a Prefeitura de Cubatão, que oferece o apoio institucional, cedendo e cuidando da área pública onde se realiza o evento, garantindo os serviços públicos necessários, bem como o apoio logístico e estrutural da Secretaria de Cultura, fomentando o desenvolvimento cultural.

Completa essa parceria estratégica o patrocínio do Grupo EcoRodovias - controlador da Elog Logística e Ecovias, empresas com forte atuação em Cubatão -, que se dispôs a financiar grande parte desse projeto de dimensões cultural, social, econômica e ambiental, compreendendo sua tradição e seu valor histórico para a população.