Vistorias em áreas de risco são reforçadas na Baixada Santista

Algumas cidades como Guarujá e Santos chegaram a classificar estado de 'atenção' nos morros

Comentar
Compartilhar
17 FEV 2018Por Da Reportagem08h35
Uma árvore caiu na Avenida Getúlio Vargas, um dos principais acessos à Praia GrandeFoto: Divulgação/PMSV

Devido à quantidade de chuvas dos últimos dias sobre a região, as cidades de São Vicente, Cubatão e Guarujá estão reforçando o monitoramento em áreas de risco. Algumas cidades como Guarujá e Santos chegaram a classificar estado de “atenção” nos morros.

Guarujá

Entre domingo e quinta-feira, Guarujá registrou 126 mm de chuva, o que, segundo o Plano Preventivo de Defesa Civil (PPDC), coloca o município em estado de atenção. Para que não haja nenhuma ocorrência grave, a Defesa Civil Municipal intensificou na quinta e na sexta-feira as vistorias nas principais áreas de risco.

Segundo informou a Prefeitura, Morros como o das Três Marias, no fim da Rua Gérson Maturani, onde há uma cicatriz na encosta, foram vistoriados na manhã de ontem, a fim de monitoramento da situação e orientação dos munícipes.

“Desde outubro de 2017 estamos atuando nas principais áreas de risco para monitorar e dar instruções aos moradores sobre os riscos de construções irregulares e para que eles possam nos alertar a qualquer movimentação de terra. É um trabalho de prevenção, que ocasiona no cenário sem ocorrências de agora”, destacou o diretor da Defesa Civil de Guarujá, Carlos Smicelato.

As vistorias nesses locais considerados de risco vão continuar nos próximos dias, enquanto a cidade continuar em estado de atenção, observando sinais de anormalidade e realizando orientação para a população com distribuição de panfletos e materiais educativos. Os moradores que verificarem alguma anormalidade nas encostas podem entrar em contato com a Defesa Civil pelo telefone 199.

São Vicente

A Defesa Civil de São Vicente monitora as regiões afetadas pela chuva no município. Ontem, por volta das 3h50, a Avenida Getúlio Vargas, um dos principais acessos à Praia Grande foi interditada devido à queda de árvores. Devido ao incidente, há falta de energia naquela região. A Companhia Piratininga de Força e Luz (CPFL) trabalha para o restabelecimento do serviço no local.

“O incidente ocorreu após um estalo de rochas, causado pelo o acúmulo de chuvas. Não há previsão para a reabertura da via. Vamos trabalhar até as 16 horas para que tudo possa voltar ao normal”, explicou Ulisses Garavatti, coordenador da Defesa Civil.

Segundo Garavatti é necessário que a população preste atenção em sinais como água barrosa, estalo de rochas e postes tortos e entre em contato imediatamente com a Defesa Civil pelo telefone 3467-7708.

São Vicente ainda está em nível de atenção devido ao alto índice de chuvas registrado nas últimas horas. O acumulado nas últimas 72 horas foi de 151,6 mm, em todo mês já choveu 277,6 mm e foi mais do que o esperado para o mês de fevereiro.

Cubatão

Em função das chuvas moderadas, mas constantes, registradas em Cubatão nos últimos dias, e da possibilidade de novas chuvas manterem encharcado o solo nas encostas da Serra do Mar, a Coordenadoria Municipal da Defesa Civil (Comdec) de Cubatão alterou para “Atenção” os padrões de monitoramento a partir das 20h30 de quinta-feira (15).

Eles poderão voltar aos padrões “Observação” assim que as condições climáticas indicarem melhora no tempo e redução nos níveis de pluviosidade nos períodos de controle geológico. A população deve também ficar mais atenta aos sinais que costumam anteceder um deslizamento, como rachaduras no solo e nas casas, árvores e postes inclinados.

Como lembram os responsáveis pela Defesa Civil, a cada 1º de dezembro são acionados automaticamente o Plano Preventivo de Defesa Civil (PPDC) - que entra em nível “Observação” - e o Plano de Contingência da Serra do Mar - que entra em estado “Observação”, voltado para a área industrial (a diferença entre nível e estado visa apenas evitar confusões na situação dos dois planos). Normalmente, os dois planos são desativados no dia 31 de março seguinte ou no início de abril, assim que terminar o período chuvoso de verão.

A mudança para “Atenção” ocorre quando o acúmulo de chuvas recentes atinge valores próximos ao ponto de encharcamento do solo e a previsão é de as chuvas continuarem, dentro de critérios técnicos de avaliação definidos nesses planos. O terreno das encostas, quando encharcado, tem mais possibilidades de sofrer deslizamento, o que exige mais controle preventivo do estado do solo. Segundo o coordenador da Defesa Civil, Levindo dos Santos Filho, essas mudanças são decididas junto com o Setor de Operações de Emergência da Cetesb.

Para embasar as alterações, foi considerada a pluviometria na região registrada em dois postos de controle: o instalado no chamado Portão 40, que registrou 42,4 mm em 24 horas e 188 mm em 84 horas; e o posto instalado na Cota 400, que registrou 19,2 mm em 24 horas mas 100,8 mm em 84 horas. Também é considerada a previsão meteorológica para este final de semana, com chuvas moderadas mas de longa duração.

A população ainda residente em áreas de risco geológico tem sido lembrada constantemente sobre os procedimentos preventivos que deve adotar no período, entre eles manter contato com os núcleos de Defesa Civil de suas comunidades para a comunicação de quaisquer ocorrências anormais e procurar abrigo em lugar mais seguro em tais casos. Os detalhes estão explicados em uma cartilha disponível em https://goo.gl/GrKgsL O telefone da Defesa Civil de Cubatão para comunicação de emergências é o 199.