Vice-prefeito de Cubatão reconhece necessidade de diálogo com servidores

Cerca de 100 servidores de Cubatão participam, na noite de hoje (10), de encontro na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) para discutir a situação da categoria

Comentar
Compartilhar
10 ABR 2017Por Diário do Litoral20h57
Representantes dos servidores de Cubatão e da Comissão de Greve se reuniram com o vice-prefeito Pedro de Sá (PTB)Foto: Matheus Tagé/DL

Membros dos dois sindicatos que representam os servidores de Cubatão e da Comissão de Greve se reuniram, na noite de hoje (10), com o vice-prefeito Pedro de Sá (PTB), na sede do Sindicato dos Servidores Municipais de Cubatão (Sispuc). Durante o encontro, o representante da Administração reconheceu a necessidade de ampliar o diálogo com a categoria, que completou duas semanas de paralisação. Ainda não há acordo entre as partes.

“Entendi, como vice-prefeito, nesta reunião, que o primeiro passo para a negociação é retirar o projeto de pauta, sem cobrar a desmobilização do servidor, e discutir exaustivamente com os sindicatos e a categoria as propostas. É isso que levarei ao prefeito”, explicou Sá. Parte das alterações que compõe a reforma administrativa proposta pelo prefeito Ademário Oliveira (PSDB) está pautada para a sessão de amanhã (11), quando deve ser votada em segunda discussão pelos vereadores.

“Assumi o compromisso de ouvir vocês e o que sair dessa reunião levar para ele (prefeito). Acho que todas as medidas deveriam ser discutidas com mais calma e por isso estou aqui. Acho também que houve um atropelo na falta de diálogo. O prefeito entende que não dá para abrir mão dos 100% das férias (considerado como 14º salário), mas o restante dá para discutir item a item”, disse aos servidores durante o encontro.

Os representantes da categoria não aceitaram a proposta de retirada do projeto de pauta. “Podemos abrir mão do item que fala da incorporação e nada mais. Todo o restante tem que ser vetado ou retirado, se ainda não foi votado. A greve continua”, afirmou Jorge Daniel Santos, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Cubatão (Sispuc), durante a reunião com o vice prefeito.

Segundo os servidores, há uma contradição na proposta do prefeito – de considerar a possibilidade de rever todos os itens menos o que reduz as férias. “É incoerente. Com as férias a economia é de apenas R$ 10 milhões. Já com o Cartão do Servidor, que já perdemos, é de R$ 30 milhões”, disse Peter Mahs, da Comissão de Greve.

Segundo os servidores, há uma contradição na proposta do prefeito – de considerar a possibilidade de rever todos os itens menos o que reduz as férias. “É incoerente. Com as férias a economia é de apenas R$ 10 milhões. Já com o Cartão do Servidor, que já perdemos, é de R$ 30 milhões”, disse Peter Mahs, da Comissão de Greve.

Servidores vão à Assembleia Legislativa

Cerca de 100 servidores de Cubatão participam, na noite de hoje (10), de encontro na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) para discutir a situação da categoria. O debate é promovido pelo deputado estadual Carlos Giannazi (Psol). Dois ônibus, com os funcionários públicos, saíram da Praça dos Emancipadores por volta das 16h30.

“Vamos fazer uma denúncia na Assembleia Legislativa. O deputado Carlos Giannazi nos cedeu o mandato dele para que a gente fosse lá e denunciasse o que está ocorrendo em Cubatão com os servidores e com a população. O desmonte que estão querendo impor na carreira do servidor público e consequentemente no sucateamento da educação, da saúde e a população sofrendo com isso”, afirmou Doroti Pasquantonio, servidora do Comando de Greve.

Ela disse que os servidores pretendem buscar apoio dos deputados da região na Alesp. “Vamos pedir para que eles intercedam por nós. Que eles conversem com o nosso chefe do executivo, Ademário, mostrando para ele que o caminho está totalmente equivocado. Que tem que chamar para negociação e fazer uma administração democrática. Tem que conversar com os servidores e ouvir as propostas que os servidores têm. Não é só na nossa carne que deve ser cortada. Tem que tirar de outros lugares”, destacou a servidora.