Via Perimetral vai desapropriar imóveis em Vicente de Carvalho

A informação é do secretário interino de Planejamento e Gestão Financeira de Guarujá

Comentar
Compartilhar
24 FEV 201321h45

Para a construção da Avenida Perimetral da Margem Esquerda do Porto de Santos, em Vicente de Carvalho, será preciso desapropriar imóveis situados na Rua Idalino Pinez — Rua do Adubo. A informação é do secretário interino de Planejamento e Gestão Financeira de Guarujá, João Eduardo Rodrigues de Oliveira — gerente de programas estratégicos da secretaria.

secretário interino de Planejamento e Gestão Financeira de Guarujá, João Eduardo Rodrigues de Oliveira — gerente de programas estratégicos da secretaria. O projeto da Avenida Perimetral da margem esquerda do Porto, lado de Guarujá, prevê a construção de três viadutos. Eles servirão para desafogar o tráfego de caminhões em Vicente de Carvalho. Um deles vai ligar a Rua Idalino Pinez (Rua do Adubo) à área da Codesp, passando sobre a Avenida Santos Dumont e vias férreas. Serão três faixas de rolamento.

O segundo viaduto, com duas faixas de rolamento, vai ligar a área da Codesp à Santos Dumont, passando sobre as vias férreas. O último elevado será construído no sentido norte-sul também sobre a Santos Dumont, desde a área da Codesp, em direção a Vicente de Carvalho. A Rua Idalino Pinez, por onde passa todo o tráfego de caminhões que vai em direção ao Porto, terá quatro faixas de rolamento (duas em cada sentido) e rotatória. Obras complementares também estão previstas.

Modificações ainda na Santos Dumont, que é a principal ligação entre Guarujá e Vicente de Carvalho. A via será alargada, passando a contar com seis faixas de rolamento, três em cada sentido, além de acostamento. O estudo ambiental para as obras da Avenida Perimetral da margem esquerda do Porto, lado de Guarujá, foi entregue ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), na quinta-feira (29).

Representantes da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) estiveram em Brasília, para entregar os documentos. A expectativa da autoridade portuária é obter a licença ainda no primeiro trimestre de 2008. O estudo foi desenvolvido pela empresa Árcades Tetraplan. A obra será viabilizada com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e serão destinados R$ 60 milhões.

As instalações da perimetral prevêem uma série de melhorias no sistema viário da margem esquerda, adequando-o às necessidades logísticas e de acessibilidade ao Porto. A perimetral também vai minimizar os conflitos entre os diferentes modais de transporte que circulam pela região. O traçado da avenida foi aprovado pelo Comitê de Infra-estrutura do Porto e Retroporto de Guarujá, em reunião realizada em 6 de outubro de 2005.