Via de Praia Grande recebe pavimentação drenante

Asfalto permeável foi estudado pela Fundação Centro Tecnológico de Hidráulica

Comentar
Compartilhar
11 ABR 2018Por Da Reportagem19h50

A Prefeitura de Praia Grande está investindo em uma nova tecnologia para pavimentação de vias, o asfalto permeável.A técnica foi desenvolvida e estudada pelaFundação Centro Tecnológico de Hidráulica (FCTH) e pela Universidade de São Paulo (USP). A ideia é evitar pontos de alagamento em períodos muito chuvosos. Este tipo de pavimentação será aplicado na Rua Carlos José Borstens, no Bairro Aviação.

De acordo com a titular da Secretaria de Obras Públicas (Seop), Eloisa Ojea, quando há grande precipitação de chuva não é incomum pontos de acúmulo de água em algumas vias das cidades, causando transtornos para motoristas e moradores.Mas após algum tempo tudo volta ao normal.“Isso acontece por causa do curto período em que o sistema de drenagem recebe essa grande quantidade de água, aliada àimpermeabilidade da pavimentação convencional. O asfalto permeável é um recurso que permite a absorção das águas das chuvas e é essa engenharia que a Prefeitura irá utilizar nesta obra", explicou.

A Rua Carlos José Borstens tem 420 metros de extensão (da Avenida Castelo Branco até a Rua João Ramalho) e os serviços a serem realizados são: retirada do pavimento com bloquetes sextavados, melhoria no sistema de drenagem e a pavimentação drenante (utilizando camada de revestimento-CPA).

Asfalto Permeável - Este tipo de pavimentação é constituído por algumas camadas. A de revestimento superficial (da pista) formada por pedras unidas pelo cimento betuminoso (asfalto). Essa composição permite pequenos espaços vazios entre si, permitindo à água penetrar na camada abaixo (interna). A parte interna é formada por pedras maiores (brita) e com mais espaço entre si, o que permite assim armazenar o que vem da superfície.Depois de armazenada por algumas horas, a água da chuva escoa para o sistema de drenagem.

Para que funcione adequadamente todo o sistemado asfalto permeável será feito sobre um fundo impermeável,isto é, será colocada uma lona plástica ao longo da via. Como explicou Eloisa, isso é necessário porque o nível do lençol freático de Praia Grande, como o da maioria das cidades da Baixada Santista, é alto (por volta de 1 m do fundo) e a implantação do pavimento permeável só pode ser feita se seu fundo forimpermeável. "É simples entender: Abaixo do lençol freático a água subterrânea preenche todos os espaços porosos e permeáveis do solo. Se ele for alto, ocupará os espaços do depósito que queremos criar. Com a lona impermeabilizamos a área, evitando esse preenchimento, mantendo assim o objetivo do depósito, que chamamos de armazenamento", explicou Eloisa.

Este tipo de asfalto consegue até 50% de permeabilidade e pode ser implantadoem substituição a pavimentação comum em diversos tipos de áreas, como vias de tráfego leve, calçadas,praças, pátios e estacionamentos, auxiliando no controle de alagamentose reduzindo a formação de poças de água. "Vamos analisar todos os detalhes do projeto, se atende às necessidades da Cidade com a qualidade que o prefeito exige sempre. Temos peculiaridades e adaptações que talvez sejam necessárias. Tudo será analisado", finalizou a titular da Seop.