Vereador pede esclarecimentos ao Executivo sobre reforma em duas escolas

Em nota, a Prefeitura informou que já havia comunicado às empreiteiras sobre os problemas nas escolas UME José Maria de Lorena, UME Padre José de Anchieta e Martim Afonso de Souza e que as reformas nas unidades ainda não foram concluídas.

Comentar
Compartilhar
22 MAR 201110h39

Os problemas de infiltração observados na Unidade Municipal de Ensino José Maria de Lorena, situada no bairro Vila Nova, e Unidade Municipal de Ensino Padre José de Anchieta, no Costa e Silva, por dois vereadores, na manhã de segunda-feira, repercutiu na sessão de ontem da Câmara Municipal de Cubatão. A situação das escolas recém-reformadas foi comunicada à imprensa pelos parlamentares Geraldo Cardoso Guedes (PR) e Severino Tarcício da Silva (Doda-PDT), e publicada na edição de ontem do DL.

Os dois vereadores documentaram as irregularidades observadas, inclusive com fotos. Segundo eles, havia goteiras em salas de aula, refeitórios e quadras poliesportivas. As unidades visitadas haviam sido reformadas pela Administração Municipal. Outra unidade visitada foi a UME Martim Afonso de Souza, no Bolsão 8, onde foi observado, segundo eles, problemas na rede elétrica, porém esta escola não foi incluída no requerimento de informação de Guedes apresentado na sessão de ontem.

Em seu requerimento, Geraldo Guedes solicita uma série de informações ao Executivo a respeito das obras de reforma nas escolas UME José Maria de Lorena e UME Padre José de Anchieta. O vereador quer saber o custo total das obras, o período de realização (início, fases e término), e sobre as empresas vencedoras das licitações abertas para executar as melhorias.

Entretanto, o requerimento não foi apreciado em plenário porque a vereadora governista Maria Aparecida Pieruzi de Souza (Nêga Pieruzi-PT) pediu adiamento. A propositura deverá ser votada na sessão da próxima terça-feira.

Nêga afirmou no plenário que também esteve nas escolas mencionadas e observou os mesmos problemas citados pelos colegas. A vereadora disse ainda que comunicou os problemas ao secretário de Obras Silvano da Silva Lacerda, ao secretário de Educação Fábio Oliveira Inácio e ao chefe de Gabinete da prefeita José Carlos Ribeiro dos Santos.

Em nota enviada ontem à Redação do DL, a Prefeitura de Cubatão esclareceu sobre os problemas nas escolas. “Com relação às questões apresentadas pelo Diário do Litoral sobre a rede escolar, a Prefeitura de Cubatão informa que a fiscalização municipal já havia verificado os problemas mencionados, e informado às empreiteiras para as correções ou complementações. Cabe lembrar que nenhuma das obras mencionadas foi concluída, e ainda que, pela primeira vez no município, as obras em execução vêm com garantia contra problemas por cinco anos após a data da entrega.

Mais: como foi noticiado na semana passada, a Secretaria de Obras está implantando um novo padrão de responsabilidade das empresas para com as obras em execução, impedindo, por exemplo, que uma empreiteira inicie uma nova etapa dos serviços sem ter concluído a contento a etapa anterior.

Respondendo pontualmente, na UME Bernardo José Maria de Lorena, a instalação completa do playground ainda vai ser feita, ao contrário do que foi dito, e portanto a reclamação é improcedente.

Na UME Martim Afonso de Souza, no Bolsão 8, a instalação elétrica está sendo feita, dentro dos novos padrões de fornecimento de energia necessários para a ligação dos condicionadores de ar. Pela mesma razão não foi possível completar a iluminação da quadra poliesportiva.

Na UME Padre José de Anchieta, situada no Costa e Silva, igualmente as obras ainda estão em execução. De forma geral, obra em escola ou é feita em meio ao período escolar, com os transtornos conhecidos da convivência dos escolares com poeira etc., ou adiada para os períodos de férias, com os transtornos advindos desse adiamento.

A Prefeitura procura balancear entre as duas opções, considerando ainda a urgência da obra e a possibilidade de reduzir ou preferencialmente eliminar os transtornos, mas precisa da compreensão dos alunos e de seus familiares, conscientes todos de que tudo vem sendo feito no sentido de oferecer aos professores e alunos um padrão superior de qualidade”, concluiu a Administração Municipal.