Vereador Banha aciona MPF contra Anvisa

Navio MSC Fantasia ficou parado horas por conta de suspeitas de sarampo a bordo. Autoridades ainda não sabem a doença

Comentar
Compartilhar
29 NOV 2018Por Carlos Ratton08h40
Navio ficou horas atracado sendo inspecionado pela Vigilância Sanitária e outras autoridadesNavio ficou horas atracado sendo inspecionado pela Vigilância Sanitária e outras autoridadesFoto: Divulgação

O vereador santista Antônio Carlos Banha Joaquim (MDB) ingressou uma representação no Ministério Público Federal (MPF) contra a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) por conta da situação ocorrida no último final de semana no Porto de Santos quando foram detectados duas crianças com suspeita de sarampo no navio MSC Fantasia. A Anvisa não se manifestou sobre a questão.

Na tarde de sábado (24), a Secretaria de Saúde de Santos já havia descartado a contaminação por sarampo, após uma vistoria realizada na embarcação com representantes da própria Anvisa, da Secretaria Estadual de Saúde e da Vigilância em Saúde do Município. Foi detectada outra doença, originada por bactéria, com menor risco de contaminação.

Desguarbecido

Para Banha, o fato acabou confirmando que o Porto de Santos continua desguarnecido de medidas necessárias para evitar que a Cidade fique exposta a desequilíbrios virais por falta de barreira e vigilância sanitária adequada. “Causou profundo espanto e indignação a maneira pela qual continua sendo tratada área de sensível importância para a Cidade”, afirma.

O parlamentar santista quer intervenção da autoridades para reforçar a segurança. “Santos e região possuem um plano um plano de emergência elaborado por especialistas e ratificação pelas autoridades competentes não só voltado para o tratamento das doenças, mas para a prevenção em caso de forte epidemia”, questiona.  

Dores abdominais

Depois de horas de atuação, as autoridades descobriram que uma criança de um ano apresentou dores abdominais, febre e manchas no corpo – mesmos sintomas apresentados por um primo da mesma idade já após o alerta. Os dois pacientes foram avaliados por médicos e fizeram exames de sangue. O resultado dos exames deve sair em alguns dias.

Parentes e pessoas que tiveram contato com as crianças foram examinados, bem como, as cabines vizinhas e as áreas por onde elas transitaram. Os órgãos de saúde seguiram o protocolo de isolamento da área. Houve também o apoio técnico e operacional da MSC, do Terminal Concais, da Codesp e da equipe médica do navio.

Passageiros

O navio de passageiros MSC Fantasia, de origem italiana, atracou as 17h30 da última sexta-feira (23). O navio passou pelo Rio de Janeiro antes de chegar ao município santista. A embarcação possuia 1.271 tripulantes e 2.275 passageiros. Desde as primeiras horas da manhã de sábado, técnicos da Anvisa e secretarias permaneceram no terminal para examinar a cabine e as áreas de circulação do navio.