Vendas de carros dobram com redução do IPI

Financiamento de até 72 meses, com juros baixos também estimula a procura

Comentar
Compartilhar
17 FEV 201319h56

A isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para veículos populares 1.0 determinada pelo presidente Luís Inácio Lula da Silva estimulou as vendas de automóveis, em Santos, na última semana. Os preços nas revendedoras caíram mais de 7% e as vendas dobraram, de acordo com o setor.

O diretor de uma distribuidora de veículos da Chevrolet, na Cidade, Ney Faustine, afirmou que as vendas diárias cresceram de três para cinco veículos na semana passada. O Celta e o Corsa Classic são os automóveis da Chevrolet mais procurados pelos consumidores, de acordo com Ney.

Além da redução do IPI, Ney afirmou que houve redução nas taxas de juros para os financiamentos de longo prazo. O consumidor pode adquirir um veículo 0km sem entrada com parcelamento de até 60 meses a uma taxa de juros mensal de 1,69%. Ney disse que a taxa de juros estava sendo praticada a 2,15% ao mês. O Celta Life básico está sendo vendido por R$ 21.828 à vista e o Corsa Classic a R$ 23.973.

A queda nos preços dos carros novos também impulsionou as vendas à vista que subiram de 15% para 30%, e pressionou os preços do semi-novos, que também baixaram, de acordo com o diretor da revendedora. Ele explicou que as condições de financiamento para o semi-novo são as mesmas do 0 km. A taxa de juros é que varia para até 1,74% ao mês.

O gerente de vendas de uma revendedora da Volkswagen, Antonio César Oliveira Junior, afirmou que a isenção total do IPI aumentou as vendas em 50% na semana passada. “Os preços dos carros 1.0 caíram 7%, mas as montadoras também beneficiaram os carros 1.6, que tiveram queda nos preços de 6%”. Alguns modelos, segundo Junior, tiveram redução de até R$ 10 mil, em relação ao preço de tabela.

Os campeões de venda da Volkswagen, o Novo Gol e o FOX, estão sendo vendidos a partir de R$ 27.290 e R$ 28.490, respectivamente. Junior destacou ainda que os financiamentos podem ser feitos em até 72 meses, com taxa de juros a partir de 0,20%, conforme o prazo de financiamento contratado.

Os preços dos semi-novos estão até 15% mais baixos e podem ser comprados sem entrada, com financiamento de até 60 meses. Junior acredita que os preços não devem subir no primeiro trimestre de 2009, uma vez que o Governo Federal garante a isenção do IPI até 31 de março.

A Fiat também sentiu as vendas acelerarem na última semana. De acordo com o gerente de vendas, Marcelo Arbolea, as vendas diárias dobraram com a isenção do IPI somada os descontos promocionais que a loja já vinha praticando para recuperar as vendas, em virtude do fraco movimento de setembro a novembro. “As vendas subiram de 6 a 7 carros por dia para 12 a 15, esta semana”, afirmou Marcelo.

O Fiat Palio 0 km, que é líder de venda da marca, tinha preço de R$ 26.790 e está sendo vendido a R$ 23.490. O preço do Uno Mille O km, o segundo automóvel da Fiat mais procurado, baixou de R$ 23.240 para R$ 20.990.

Marcelo disse que a loja também está oferecendo financiamentos de até 60 meses, sem entrada, com taxa de juros a 1,60% ao mês. Mas as taxas de juros estão sendo praticadas a partir de 0,48% conforme o prazo de financiamento contratado.

As vendas à vista respondem por 40% a 45% nesta loja, mas Marcelo afirmou que as condições oferecidas atualmente compensam para o cliente tanto a compra à vista quanto financiada. ”O preço está bom. Está compensando comprar o carro à vista ou financiado”.

Entretanto, Marcelo disse que com a virada do ano pode haver alteração nos preços, mesmo com a isenção do IPI garantida até 31 de março. Mas, destacou que não dá para prever ainda o que pode acontecer, se os preços subirão ou caíram mais.

Porém, Marcelo afirmou que a crise beneficiou os clientes porque o custo dos automóveis, embora com taxas mais altas agora, é o mesmo de julho a agosto, quando as vendas estavam bem aquecidas.

No entanto, a crise não está dificultando a aprovação de crédito para os clientes que desejam comprar os carros neste final de ano, segundo os revendedores entrevistados.

Para fechar contrato, o cliente é submetido à análise de crédito, para verificação de sua renda mensal e os gastos que possui. Para fazer a compra, é necessário apresentar RG, CPF, comprovante de residência e de renda.

Semi-novos

Para o vendedor de semi-novos de uma revendedora da Fiat, Maurício Dias Carlos, os preços dos usados devem cair ainda mais nos próximos meses, impulsionados pelos incentivos do Governo para os carros novos. Na última semana, os preços baixaram até 30% e as vendas cresceram de três carros por semana para oito.

Segundo ele, também está valendo à pena comprar carros semi-novos financiados, assim como à vista. A loja está oferecendo financiamentos de até 60 meses sem entrada, com taxa de juros mensal de 1,65% a 1,70%.

Maurício estima que as vendas devem aumentar ainda mais após a virada do ano. “Tem muito cliente que prefere comprar nos meses de janeiro e fevereiro para se livrar do IPVA. Na hora de trocar o carro, o cliente perde um pouco na avaliação do preço, mas economiza o IPVA”. Outra vantagem na compra do semi-novo, de acordo com Maurício, é a economia de custos com a documentação, uma vez que o veículo já está emplacado.

Entre os semi-novos, os mais vendidos são o Fiat Palio e o Gol, segundo Maurício. ”De cada dez carros vendidos, quatro são modelo Palio e três são Gol”, disse o vendedor. “O crédito está bem facilitado e está alavancando as vendas neste final de ano”.