Vaidade não tem idade e auto-estima não tem preço

‘Salão de beleza em casa’ promove um dia de beleza para idosos que moram em repúblicas de Santos

Comentar
Compartilhar
11 JAN 201320h49

No aparelho de som, clássicos dos anos 1950. Uma volta no tempo da mocidade, mas com a alma rejuvenescida pela vaidade e pela auto-estima, resgatada na felicidade que não tem preço. Esse era o clima no ‘Salão de beleza em casa’, promovido durante todo o dia de ontem, no Gonzaga, para idosos que moram nas repúblicas de Santos.

O evento é promovido uma vez por mês pela empresária e cabeleireira Fabiana Amaral, que em vez de ser voluntária nas instituições onde os idosos residem, decidiu trazê-los para o salão de beleza, oferecendo um dia especial.

“Eu ia nos asilos fazer trabalho voluntário. Então eu quis trazer essas senhoras e senhores aqui para um dia de salão de beleza, com música dos anos 1950, café colonial e lanches. Fazemos tudo que eles quiserem e de graça”, afirmou Fabiana que estava feliz e recompensada pela satisfação dos idosos.

“Nós atendemos 28 pessoas até agora (16h30), sendo seis homens”, disse Fabiana. Durante todo o dia os idosos receberam cuidados especiais de beleza como manicure, pedicure, corte e pintura de cabelo, maquiagem, penteados, entre outros serviços. Tudo gratuito.

Segundo Fabiana, a ideia é realizar o evento todos os meses. O primeiro Dia da Beleza da Melhor Idade aconteceu no último dia 13 de junho. “Fizemos uma festa junina para eles”, disse Fabiana.

Nesta data, o dia beleza foi mais do que especial para dona Odete Leite, de 73 anos. “Era o dia do meu aniversário e eu nunca tinha ido a um salão de beleza na vida. Nunca tive tempo, eu mesma cortava o meu cabelo. Foi um presente muito valioso para mim. Só felicidade. Sai daqui de cabelo cortado e pintado, fiz as unhas”, declarou emocionada a dona Odete, que participou também do segundo ‘salão de beleza em casa’, ontem.

A iniciativa partiu de uma conversa entre Fabiana que queria continuar com o voluntariado com a chefe de seção de repúblicas da Secretaria de Assistência Social de Santos, a psicóloga Celiana Souza Nunes. “Acabou sendo uma boa parceria pela restauração da auto-estima deles, eles são bem recebidos aqui e o pessoal faz tudo que eles querem, pintura, corte de cabelo, unha, permanente”, afirmou Celiana.

Segundo Celiana, há quatro repúblicas em Santos com 42 residentes a partir de 60 anos de idade. “Nas repúblicas, eles pagam um aluguel de R$ 67, mais água e luz, o que dá em torno de R$ 100 por mês. Nas repúblicas, diferente dos asilos, eles são independentes, cada um tem seu cantinho, o almoço é por conta deles e eles também lavam as próprias roupas”, explicou Celiana. “A nossa inquilina mais velha tem 87 anos”, completou.