Vagões do VLT serão montados em São Vicente

O Veículo Leve sobre Trilhos terá 22 composições. Três delas virão da Espanha e chegarão ao porto nas próximas semanas. As demais serão fabricadas no Brasil

Comentar
Compartilhar
22 MAI 201417h41

Após 37 dias de viagem, três vagões articulados da primeira composição do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), que irá operar na Baixada Santista, chegaram ao Porto de Santos nesta quinta-feira (22). Depois do desembaraço aduaneiro para liberação do equipamento, os vagões, que juntos pesam quase sessenta toneladas, serão montados em São Vicente.

O VLT terá 22 composições. Três delas virão da Espanha e chegarão ao porto nas próximas semanas. As demais serão fabricadas no Brasil.

De acordo com o diretor presidente da EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo, Joaquim Lopes, a chegada dos carros representa “um marco muito importante em um dos principais projetos de mobilidade do estado de São Paulo”.

O transporte de passageiros está previsto para entrar em operação comercial no primeiro semestre de 2015, ligando as cidades de São Vicente e Santos em um trajeto aproximado de 30 minutos.

As obras do Veículo Leve sobre Trilhos em São Vicente seguem em ritmo acelerado. Os primeiros trens produzidos em Valência, na Espanha, já foram entregues. A composição com 22 vagões terá capacidade para transportar 220 mil pessoas por dia entre o Município e Santos. O tempo de espera será de três a cinco minutos. Os primeiros testes do novo sistema de transporte começam em junho.

Veículos chegaram ao Porto de Santos nesta quinta-feira (Foto: Matheus Tagé/DL)

A primeira estação em São Vicente, na Vila Valença, ficou pronta em abril. O VLT vai operar em um trecho de 11 quilômetros entre a Ponte dos Barreiros (São Vicente) e o porto de Santos.

Cada VLT terá 2,65 metros de largura por 44 metros de comprimento, velocidade média de 25 km/h (a máxima é de 80km/h), ar condicionado e piso que facilita a movimentação de usuários com dificuldade de locomoção, e com capacidade para 400 usuários por viagem. O investimento total é estimado em mais de R$ 1 bilhão na compra dos equipamentos, infraestrutura , execução e manutenção do sistema.

A obra é parte da reestruturação do transporte público da Baixa Santista e interligará 9 municípios, com previsão de benefícios a toda a população metropolitana da Região, estimada em 1,9 milhão de habitantes.

O VLT vai funcionar das 5 da manhã à meia-noite. A manutenção será feita no intervalo desse período. Cada composição alcança até 70 km/h, mas para operar na cidade, a velocidade será limitada a 50 km/h. O tempo de espera para embarque será entre três e cinco minutos.