Um dia de turista... em Santos!

Você que mora na Cidade ficaria surpreso com tanta coisa que, confesse, você não conhece em Santos

Comentar
Compartilhar
24 NOV 2017Por Da Reportagem11h12
Passeio de bonde pelo Centro Histórico é uma das atraçõesFoto: Mirna Gabriela

Diego Brígido
Jornalista e turismólogo, editor-chefe da Revista e do Portal Nove Cidades.

E se você, santista, fosse convidado para viver um dia de turista... em Santos? Eu tenho certeza que se encantaria e ficaria surpreso com tanta coisa que, confesse, você não conhece na cidade.

A Revista Nove Cidades propôs isso no último mês e realizou, em parceria com a Prefeitura, o 1º TOURINSANTOS, um dia inteiro para os santistas serem turistas na própria cidade. Nosso roteiro começou com uma palestra sobre as inúmeras belezas e atrativos mal explorados na Baixada Santista, no Museu Pelé.  Depois seguimos para um passeio de bonde pelo Centro Histórico, onde os munícipes-turistas puderam olhar com novos olhos para as construções históricas da cidade, atentos a um velho-novo cenário que se descortinava diante de um heterogêneo e animado grupo.

Após o almoço, que foi livre, mas cheio de descontos bacanas nos restaurantes das charmosas ruas do centro, seguimos para um walking tour, um roteiro a pé, que começou no Museu de Arte Sacra de Santos – aliás, você sabia que temos aqui uma das mais importantes instituições museológicas de arte sacra do Brasil? Uma visita monitorada e cheia de riquezas, ao pé do Morro do São Bento, logo ali, na entrada da cidade.

De lá seguimos para o Museu do Café, esse mais conhecido de alguns que já desfrutaram de momentos de bom café por lá. Mas o universo revelado a partir do salão onde aconteciam os pregões da Bolsa deixou a turma toda eufórica, em meio ao aroma inebriante de café, num tour de 45 minutos por todo o belíssimo prédio.

Partimos rumo ao nosso último equipamento do dia – por este, confesso nutrir uma paixão incurável: a Casa de Frontaria Azulejada. Normalmente ela está fechada, mas conseguimos com a Fundação Arquivo e Memória, gestora do local, que nos liberasse o acesso.

Uma das mais significativas obras arquitetônicas de Santos, a casa foi construída em 1865 como residência e armazém do comendador português Manoel Joaquim Ferreira Netto. A fachada com influência neoclássica e azulejos em alto relevo importados de Portugal já dão um sinal do que guarda essa suntuosa construção e, claro, o seu interior, ainda em ruínas, é o grande charme do espaço.

Por lá têm acontecido vários eventos e manifestações culturais, promovidos pela prefeitura e por iniciativas independentes – inclusive um dos meus preferidos, o Encontro de Criadores, que está rolando neste final de semana. De graça.  

Encerramos o nosso TOURINSANTOS com um delicioso happy hour na Rua XV de Novembro, ao som do Komboio Cultural, uma turma que leva música autoral santista e diversas expressões culturais pelas ruas de Santos a bordo de uma estilosíssima Kombi.

Essa experiência serviu para comprovar que o santista conhece bem pouco das riquezas e do potencial turístico de nossa cidade. Não faz mal, porque vem mais por aí. Nós queremos criar uma legião de santistas que batem no peito de orgulho da nossa Santos e que podem dizer ‘sim, eu conheço a minha cidade’.

Já demos os primeiros passos, vem com a gente. Ah... e se você quiser acompanhar todo este movimento e tudo o que rola de interessante na Baixada Santista, curte nossa fanpage (@revistanove) e acompanhe nosso portal diariamente (www.revistanove.com.br). Nos encontramos na próxima semana aqui ou por aí, pelas ruas da cidade.