Banner gripe

Ucrânia: Putin culpa Estados Unidos e aliados pelo conflito

O presidente russo insistiu que a condição fundamental para estabilizar a situação no Leste da Ucrânia é a suspensão imediata das hostilidades

Comentar
Compartilhar
09 FEV 201510h53

Em declarações ao diário egípcio Al Ahram, O presidente russo, Vladimir Putin, culpou os Estados Unidos e os seus aliados de terem provocado a crise na Ucrânia com as tentativas de "impor a sua vontade em todos os lugares".

A crise ucraniana "é resultado das tentativas dos Estados Unidos e seus aliados ocidentais, que acreditam ser vencedores da Guerra Fria, de impor a sua vontade em todos os lugares", disse Putin, em entrevista na véspera da visita oficial ao Egito, que começa hoje (9).

"Em repetidas ocasiões, alertamos os Estados Unidos e os seus sócios ocidentais sobre as consequências nefastas da intromissão nos assuntos internos da Ucrânia", disse o chefe do Kremlin.

Putin insistiu que a condição fundamental para estabilizar a situação no Leste da Ucrânia é a suspensão imediata das hostilidades, em particular da "chamada operação antiterrorista [do Exército ucraniano], que não é mais que uma operação punitiva".

A entrevista ao Al Ahrman foi concedida antes de ser anunciada a realização de uma reunião de cúpula em Minsk (Bielorrússia), na quarta-feira (11), com a participação da Rússia, Ucrânia, Alemanha e França para discutir um pacote de medidas que combatam a violência na região.

De acordo com dados da Organização das Nações Unidas, mais de 5.300 pessoas, entre combatentes e civis, morreram nos quase dez meses de conflito armado nas regiões orientais da Ucrânia.

Colunas

Contraponto