TWB apresenta nova proposta de salários para marítimos

Outra reivindicação é sobre “a segurança nas embarcações para os trabalhadores contratados pela TWB”

Comentar
Compartilhar
27 FEV 201321h19

A coordenadoria regional da CUT e a comissão de trabalhadores marítimos decidiram, em reunião ontem, que convocarão hoje uma reunião com a Dersa. Segundo um dos coordenadores regionais da Cut, Djalma Sutero da Silva, hoje será encaminhado à Dersa, um documento solicitando à empresa a reintegração dos funcionários da OP Mariner e o pagamento das rescisões, cujo acordo firmado é de parcelamento em 12 meses. Outra reivindicação é sobre “a segurança nas embarcações para os trabalhadores contratados pela TWB”.

Em manifestação na travessia de balsas, na última quarta-feira, os trabalhadores distribuíram panfletos informando sobre a falta de segurança nas embarcações e sobre os baixos salários pagos pela TWB. Em nota, a TWB informou que “a operação nas travessias litorâneas é feita com pessoal habilitado, com total segurança.

Os problemas que ocorreram no dia 27 foram causados por pessoas estranhas ao serviço, que obstruíram a via pública, impediram o acesso dos usuários e perturbaram o andamento da operação. Esses incidentes não foram provocados por funcionários da TWB (...) muito embora pressionados e coagidos por ex-funcionários da antiga operadora OP Mariner, que participaram das manifestações.”

A TWB, licitante na concorrência pública para concessão dos serviços de operação e manutenção nas travessias do litoral paulista, realizada pela Dersa, cuja empresa vencedora será anunciada na segunda-feira, ofereceu a menor proposta — R$ 37 milhões — para contrato de 12 meses. Caso seja confirmada vencedora, a TWB fará nova proposta de remuneração e benefícios aos funcionário, que entrará em vigor no dia 2 de julho.

A proposta consiste em auxílio-refeição de R$ 270 e pagamento de 75% do plano de saúde do funcionário. Quanto às remunerações, os vencimentos estipulados são: marinheiro de convés (R$ 650,65), marinheiro de máquina alcançará (R$ 900,20), condutor de motorista (R$ 1.430,80) — salário-base mais adicional de insalubridade. Já para o mestre arrais o salário é de R$ 1.860 — salário-base mais adicional de insalubridade e ajuda de custo para aperfeiçoamento profissional. A TWB ainda se prontifica a desenvolver programas de treinamento no sentido de preparar o pessoal para novas funções.