Três acusados de estupro coletivo na Índia se declararão inocentes

Dos cinco homen acusados do estupro da universitária de 23 anos, em Nova Délhi, três deverão se declarar inocentes se forem levados ao tribunal.

Comentar
Compartilhar
09 JAN 201317h28

Três dos cinco homens acusados do estupro, espancamento e assassinato de uma estudante de fisioterapia de 23 anos em Nova Délhi, capital da Índia, deverão se declarar inocentes quando forem levados ao tribunal na quinta-feira, informou nesta quarta-feira (9) o advogado dos réus, M. L. Sharma.

Os cinco acusados são todos moradores de Nova Délhi e têm entre 19 e 35 anos. Um sexto acusado, de 17 anos, será julgado em separado em um tribunal para menores de idade. Caso sejam considerados culpados por homicídio, os adultos poderão ser sentenciados à morte por enforcamento.

O estupro da jovem causou uma onda de indignação na Índia e expôs a triste situação de violência sexual à qual milhões de mulheres indianas estão expostas diariamente.

"Quem quer que tenha cometido esse crime horroroso precisa ser punido mas meus clientes não são os verdadeiros culpados", disse o advogado Sharma à agência France Presse (AFP).

Ele representa Ram Singh, motorista do ônibus onde a jovem foi estuprada, o irmão do motorista Mukesh e um trabalhador chamado Akshay Thakur Os três deverão se declarar oficialmente inocentes amanhã na frente de um juiz. A expectativa é que o julgamento seja rápido. Os cinco adultos acusados são mantidos na penitenciária de segurança máxima de Tihar, perto da capital indiana. As informações são da Dow Jones.

Após morte da universitária, protestos pacíficos puderam ser vistos em todo o país. (Foto: AP)