Trecho Conselheiro Nébias-Valongo do VLT deve começar a ser implantado no primeiro semestre de 2020

Governo de SP divulgou hoje a relação de empresas habilitadas na licitação da 2ª fase

Comentar
Compartilhar
05 DEZ 2019Por Da Reportagem11h05
A Construtora Queiroz Galvão S.A ofereceu o menor preço, no valor de R$ 217,7 milhõesFoto: NAIR BUENO/DIÁRIO DO LITORAL

O Governo de SP divulgou no Diário Oficial do Estado (DOE) de hoje a habilitação de três empresas para a fase final da licitação de obras da segunda fase do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) da Baixada Santista, que ligará Conselheiro Nébias ao Valongo, em Santos. Com extensão de 8km, o trecho terá 14 estações e a previsão é que as obras tenham  início no primeiro semestre de 2020.

Após análise da documentação jurídica, financeira e técnica foram classificadas as licitantes Construtora Queiroz Galvão S.A., Consórcio TTE (VLT) (Trail/Terracom/Engefel) e Consórcio Conselheiro Nébias/Valongo (Constr.Norberto Odebrecht/OEC/Odebrecht Eng.). Seguindo o rito legal do processo de licitação, foi aberto um prazo de cinco dias úteis para a interposição de recursos.

O julgamento da proposta de preços foi publicado no DOE de 28/08. A Construtora Queiroz Galvão S.A ofereceu o menor preço, no valor de R$ 217,7 milhões. O processo de distribuição das ações de desapropriação do trecho Conselheiro Nébias - Valongo está em fase final. O valor estimado para as desapropriações desse trecho é de aproximadamente R$ 19,3 milhões.