Travessias contam com mais três embarcações

É o que estima a Dersa após uma série de problemas que usuários vêm enfrentando em ambas as travessias

Comentar
Compartilhar
22 SET 2018Por Bárbara Farias08h20
Lancha com capacidade para 450 pessoas vai operar nos horários de pico na Travessia Santos-Vicente de CarvalhoLancha com capacidade para 450 pessoas vai operar nos horários de pico na Travessia Santos-Vicente de CarvalhoFoto: Paolo Perillo/DL

A Dersa (Desenvolvimento Rodoviário S/A) entregou ontem à tarde a lancha de passageiros LS-05 e as balsas FB-19 e FB-05. Além de aumentar a capacidade de transporte de passageiros, as três embarcações devem minimizar o tempo de espera dos usuários tanto na Travessia de Barcas Santos-Vicente de Carvalho quanto na Travessia de Balsas Santos-Guarujá. É o que estima a Dersa após uma série de problemas que usuários vêm enfrentando em ambas as travessias.

A lancha LS-05 tem capacidade para 450 passageiros e será integrada à frota em substituição à lancha LS-01, que sofreu um incêndio em 2016 e tinha uma capacidade menor, de 370 passageiros. A LS-05 transportará 80 pessoas a mais e foi a custo zero para a Dersa, pois a reposição da lancha foi feita pele empresa prestadora de serviços que operava a LS-01 na data do acidente, que tinha seguro.

O secretário de Logística e Transportes do Governo do Estado de São Paulo, Mario Mondolfo, que esteve em Santos para a entrega da lancha e das balsas, acredita que as embarcações vão trazer conforto aos usuários das duas travessias.

“Agora a gente praticamente não vai ter mais filas em Vicente de Carvalho. Na travessia de balsas, o sistema vai operar com oito embarcações full time. A gente acha que agora vai diminuir bastante os problemas”, afirmou.

Mondolfo também falou sobre as melhorias que estão sendo feitas nas travessias. “A gente está melhorando os pontos de embarque e fila preferencial”, acrescentou Mondolfo.

O diretor de Operações da Dersa, Eduardo Di Gregório, explicou que com a chegada das duas balsas, a capacidade operacional da Travessia Santos-Guarujá será de 820 veículos.

“Hoje, a capacidade de 545 veículos passa a ser de 820 e isso vai facilitar bastante toda a operação aqui na Travessia Santos-Guarujá”, afirmou. Di Gregório estima que com o reforço das balsas ao sistema, o tempo de espera na travessia não ultrapasse 15 minutos de ambos os lados. “Vamos operar com oito embarcações e uma de reserva”, disse.

Quanto à Travessia de Barcas Santos-Vicente de Carvalho, Di Gregório afirmou que “existem placas com os horários de partidas a cada 12 minutos. Nós estamos tentando de todas as formas respeitar esses horários. Tínhamos três embarcações fazendo esses horários e colocamos uma quarta embarcação no horário de pico por conta dos problemas que estavam acontecendo. Agora, com essa embarcação com capacidade para mais 450 pessoas, nos horários de pico também, vai dar uma fluidez maior aí para o usuário, um conforto, uma segurança maior”.

Embora a frota conte com cinco embarcações, Di Gregório explicou que a travessia vai operar com três embarcações a maior parte do tempo e com quatro nos horários de pico. Já a quinta ficará de reserva. “A princípio, a LS-05 vai operar nos horários de pico”, finalizou. O sistema tem um movimento médio de 14 mil usuários por dia.

A FB-19 retorna à frota da travessia de balsas após ser reformada. A embarcação foi avariada quando foi atingida por um navio cargueiro em maio deste ano. O conserto foi totalmente custeado pelo armador do navio que causou o acidente. A embarcação tem capacidade para 50 veículos.

Já a FB-05, que também foi entregue ontem tem capacidade para 28 veículos. A embarcação também foi reformada e custou R$ 1,4 milhão ao Governo do Estado.   

O diretor do Procon de Guarujá, José Roberto Reinaldo, o Beto Feijó, que vem fiscalizando a Travessia de Barcas Santos-Vicente de Carvalho foi conferir de perto a nova embarcação de passageiros. “A gente fica feliz em saber que a empresa está preocupada em dar o retorno à população”, declarou Beto Feijó.

Ecovias deve entregar projeto da ponte na semana que vem

“A gente espera receber esse projeto da Ecovias já na próxima semana. A gente já fez um acordo com a SAC, que é a Secretaria de Aviação Civil e com o Decea (Departamento de Controle do Espaço Aéreo), sobre a questão dos gabaritos aéreos”, afirmou o secretário de Logística e Transportes do do Estado, Mario Mondolfo. “Todo esse conjunto de coisas vai melhorar muito a mobilidade aqui na Baixada”, afirmou.

Em junho deste ano, o governador Márcio França autorizou a Ecovias a fazer o projeto da ligação seca Santos-Guarujá. “Eu estive com eles (Ecovias) em reunião há dez dias e o que nós queremos é uma ponte que seja funcional. A gente está estudando dois sistemas construtivos que são mais baratos do que uma ponte estaiada, por exemplo. A secretaria orientou a concessionária de simplificar o projeto o máximo possível de forma que a gente consiga obter os recursos para construir”

A ponte interligará a Via Anchieta (km 65) e a Rodovia Cônego Domênico Rangoni (km 250). A interligação terá cerca de sete quilômetros.