X
Cotidiano

Trauma: ‘Se eu pudesse voltar atrás’

A triste história do menino G.M.O, que perdeu um braço e uma perna em acidente de trem, pode se repetir em Cubatão, onde muitas crianças são obrigadas a atravessar a linha diariamente

Na sala de sua humilde casa na Vila Natal, em Cubatão, G.M.O nem percebe a entrada da equipe de reportagem porque estava completamente entretido com a conversa mantida no Facebook pelo celular. Mais tarde, à Reportagem, ele reclama da autoridade da mãe, a dona de casa Sheila Melone de Santana, que o proíbe de ir à praia em Santos.

A rotina de G.M.O pode ser a mesma de milhares de adolescentes de sua idade. Porém, sua história é reservada a poucos. Por um dos vários momentos de insensatez que a vida proporciona, o menino perdeu a inocência e, junto com ela, o braço e a perna esquerda, dilacerados por um trem no final da tarde do dia 29 de outubro do ano passado. Ele ainda luta para superar o trauma.

O menino não estava só. Ele e um amigo tinham acabado de assistir uma partida de futebol num campo próximo à rodoviária da Cidade e, no caminho de volta para casa, viram que o trem trafegava devagar. Para testar seus limites, eles resolveram subir na composição que, segundos depois, passou a imprimir velocidade. Ambos ficaram com medo de pular.

Em cima do vagão, G.M.O foi atingido por um fio da rede de telefonia que estava presa ao viaduto sobre a linha férrea e caiu entre um vagão e outro. Ele ficou um bom tempo sangrando no chão até ser assistido por um parente. “Agora é outra vida, mas estou me adaptando e até voltando a andar. Se eu pudesse voltar atrás, jamais teria subido naquele trem”, afirma.

Sheila ainda aguarda ajuda para o filho (Foto: Luiz Torres/DL)

Mãe

“Eu não acreditei no que ocorreu com meu filho. Pensei que fosse brincadeira. Parece estranho, mas eu sempre o alertei sobre os perigos relacionados à linha de trem. Eu já entrei em contato com a empresa para buscar algum tipo de ajuda, mas até agora não fui atendida. No dia do acidente, outros meninos também estavam sobre o trem. Por isso, mais acidentes ocorrerão”, acredita Sheila.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Mundo

Professor usa plataforma pornô para dar aulas de matemática

O taiwanês trabalhava há tempos no mercado de cursinhos, um ramo milionário em uma região marcada pela competitividade no ambiente educacional

Brasil

Bolsonaro participa da formatura de cadetes do Exército na Aman

Os 391 cadetes são do 4º ano da Turma Dona Rosa da Fonseca

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software