Transporte de São Vicente deve entrar em nova fase em outubro

As mudanças foram discutidas na segunda audiência pública sobre o tema, que aconteceu na Área Continental

Comentar
Compartilhar
13 FEV 2019Por Da Reportagem08h40
As lotações serão substituídas por 168 micro-ônibus e 61 ônibus; empresa vencedora terá 180 dias para iniciar as atividadesFoto: Nair Bueno/DL

O edital de licitação para a contratação da nova concessionária do transporte municipal de São Vicente deve ser publicado em até vinte dias. Se os prazos forem cumpridos, em outubro o transporte vicentino entrará em uma nova fase.

As mudanças foram debatidas com a população da Área Continental, na segunda audiência pública do Novo Projeto Básico do Sistema de Transporte Coletivo Público de Passageiros de São Vicente, na noite da última segunda-feira. O encontro, que reuniu mais de 120 pessoas, foi realizado na EMEF Francisco Martins dos Santos, no Jardim Rio ­Branco.

A primeira audiência aconteceu em 29 de janeiro, na Câmara Municipal. A realização desses encontros foi aprovada por unanimidade no legislativo municipal, com o intuito de dar mais transparência nesta fase de transição do serviço.

Na ocasião, estiveram presentes os vereadores Wilson Cardoso, Sargento Barreto, Jabá e Castelinho, o secretário de Trânsito e Transportes, Alexandre de Almeida Costa, o subprefeito da Área Continental, Perivaldo de Oliveira Santana, e o coordenador de estudos do termo de referência da nova rede de transporte urbano, Claudinei Castanha.

“Os estudos indicaram que a demanda na Área Continental exige a utilização de ônibus. Já na Área Insular, os micro-ônibus são suficientes para atender à população. Eles vão operar também na região central, enquanto os interurbanos seguirão diretamente para as cidades vizinhas”, informou Castanha.

Depois da publicação do edital de licitação, será a vez da elaboração das propostas por parte das empresas interessadas em concorrer. A concessão do transporte municipal atende a um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), movido pela promotoria pública estadual. O prazo para a implantação do novo sistema  é março.

Após a definição, por parte da Prefeitura, a empresa vencedora tem o prazo de 180 dias para iniciar as atividades, ou seja, em outubro os ônibus e micro-ônibus devem entrar em circulação. O contrato será de 20 anos.

A nova empresa deverá manter 168 micro-ônibus em operação, além de 61 ônibus.  A frota contará com ar-condicionado, sistema de monitoramento, câmeras, Wi-fi gratuito e ­acessibilidade.

Ao final da audiência, o vereador Jabá, presidente da Comissão Especial de Vereadores (CEV) que trata do transporte municipal, informou que dará encaminhamento a um novo encontro entre o Poder Público e a sociedade sobre o tema, em data ainda não definida.

Colunas

Contraponto