Translíder já começa a operar em Cubatão

A nova empresa irá prestar serviços na Cidade por 10 anos, sendo possível a prorrogação do serviço por mais 5 anos. A passagem continua R$ 2,00

Comentar
Compartilhar
13 JAN 201321h14

A Viação Translíder Transportes Rodoviários e Logística LTDA já começou a operar o transporte público de Cubatão. A empresa que venceu o certame licitatório para operacionalização de passageiros pertence ao mesmo grupo da Viação Bom Jesus, que desde 28 de junho de 2009, opera o serviço na Cidade, através de contrato em caráter emergencial. Pelo contrato, a nova empresa irá prestar serviços na cidade por 10 anos, sendo possível a prorrogação do serviço por mais 5 anos. A passagem continua R$ 2,00.

De acordo com o diretor presidente da Viação Translíder, Paulo Sirqueira de Farias, os empregos dos funcionários que atuavam na Viação Bom Jesus serão mantidos. “A garantia de emprego permanece. É possível essa alteração porque a empresa é do mesmo grupo. Todos terão seus cargos mantidos”, garantiu Farias.

Segundo Farias, a frota de veículos aumentará. “Investimos na compra de mais ônibus e a frota com 55 ônibus irá para 70 e pretendemos em um curto espaço de tempo chegar a 80 ônibus”, disse Farias.

Segundo o presidente da Translíder, a frota que hoje conta com 14 ônibus adaptados para cadeirantes ganhará o reforço de novos coletivos totalizando 29 veículos com acessibilidade. “Em 20 dias vamos apresentar mais 15 ônibus adaptados para garantir mais acessibilidade para os usuários”.

Segundo Farias, o objetivo da nova concessionária é prestar um serviço ainda melhor na Cidade. “Nosso slogan é ‘Cubatão merece o melhor’ e baseado nisso vamos dar mais agilidade ao transporte público, aumentando a oferta para o usuário”, garantiu Farias.

Cadastramento

Segundo a Companhia Municipal de Trânsito (CMT), em julho, será iniciado o cadastramento de passageiros com direito à gratuidade na passagem, que receberão carteira provisória comprovando esse direito, até a instalação da bilhetagem eletrônica nos veículos – que deve ocorrer dentro de 120 dias.

Mudanças

Quatro meses é também a previsão para a instalação, na sede da CMT, do Centro de Controle e Monitoramento do Transporte Coletivo, destinado a fazer em tempo real esse trabalho em toda a frota (de concessionária e alternativos), ampliando a regularidade e confiabilidade no transporte. Serão monitorados: o cumprimento de horários de partida e de itinerários, a velocidade dos veículos e os desvios de rota (todos os veículos serão dotados de rastreadores).

Isso permitirá também que, através do site na Internet (e eventualmente por meio de totens multimídia instalados em pontos de maior concentração), seja possível consultar o tempo de espera até a passagem do próximo veículo em cada linha.

Segundo o titular da Companhia Municipal de Trânsito (CMT), Silvano da Silva Lacerda, a Prefeitura está estudando juntamente com a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) a possibilidade de integração com o transporte metropolitano.

Quanto às linhas atuais, permanecerão as mesmas, podendo haver ajustes no itinerário por solicitação da comunidade, ou ampliações para atender a novos núcleos habitacionais, como o da Mantiqueira, na divisa com Santos (e que depende apenas de entendimentos com a Ecovias).

Vem ocorrendo também a cobertura dos pontos de parada dos coletivos, à razão de 50 lugares por ano: 12 coberturas já foram instaladas, e outras 38 serão colocadas até o final deste ano.