Torneiras e palavras vazias

A falta d’água que vem atingindo a Baixada neste início de temporada esvazia discurso de Dilma Pena, diretora-presidente da Sabesp. Moradores ficam, de novo, só com a promessa

Comentar
Compartilhar
04 JAN 201410h16

A falta de água nos últimos dias em diversos bairros das nove cidades da Região não só esvaziou apenas os reservatórios residenciais como também o discurso da diretora-presidente da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) Dilma Pena que, no último dia 27, garantiu que não iria faltar o líquido nem na alta temporada do verão na Baixada Santista.

A promessa que há anos vem sendo feita e que, nos últimos dias, havia ganhado reforço com a entrega de duas estações de tratamento de água (ETAs) — uma em Itanhaém e outra em Guarujá — caiu por terra em menos de uma semana e já no segundo município. Ontem, a Reportagem flagrou vários carros-pipa abastecendo prédios da orla das praias de Astúrias, Pitangueiras e Enseada. O problema também atinge bairros com poucos prédios.

Na vizinha cidade de Santos, onde o problema é bem menos observado, houve falta de água nos morros e baixa pressão em vários bairros, como Macuco e Estuário. Em São Vicente, muitos bairros são atingidos pela falta de água como o Parque São Vicente e a Cidade Náutica. Em Bertioga, foi o Jardim Rio da Praia. Em Praia Grande, a falta do líquido é facilmente observada na chamada terceira zona residencial — lado mais carente da cidade.

Em sua visita à Região, Dilma Pena chegou a dizer que as experiências de falta de água na Baixada Santista ficariam no passado. Deu como exemplo o fim de semana prolongado de novembro (que reuniu Dia da Consciência Negra e o Feriado da República), em que a Região não sofreu com o problema. “A entrega dessas duas estações produz efeito imediato”, disse.

População volta a sofrer com a falta d’água em cidades da Região Metropolitana (Foto: Matheus Tagé/DL)

Sabesp

Em nota, a Sabesp respondeu que “os investimentos realizados nos últimos anos nos sistemas de saneamento da Baixada Santista permitiram que a Sabesp produza diariamente 11 mil litros de água por segundo para atender à região. É um volume suficiente para abastecer mais de 4 milhões de pessoas, considerando-se um consumo diário de 150 litros por habitante — a OMS considera satisfatório um gasto de 110 litros por habitante/dia. Estão na Baixada para os feriados 3,7 milhões de pessoas, entre moradores e turistas. Ou seja, o sistema que abastece as nove cidades da Região produz água suficiente para esta população.

Nestes feriados de Natal e Ano-Novo, porém, não houve dias chuvosos como em temporadas anteriores e foram poucas e rápidas as pancadas no final da tarde. As temperaturas chegaram aos 44°C. Além disso, são 15 dias seguidos de lotação na Baixada, já que os feriados permitiram que os turistas emendassem as datas. Esse cenário fez com que o consumo de água per capita chegasse a passar de 300 litros por dia”.

Prefeita Antonieta notifica Sabesp

A prefeita de Guarujá encaminhou ontem uma notificação extrajudicial à Dilma Pena e ainda ao superintendente regional da estatal, João César Queiroz Prado. Segundo a Administração, desde o último dia 31 diversos bairros da Cidade, principalmente a região da Enseada, vêm sofrendo com falhas no abastecimento.

De acordo com o advogado geral do Município, André Guerato, “os moradores e os turistas que estão na Cidade passam por grandes transtornos devido à interrupção do fornecimento de água. Por isso, estamos notificando e a Sabesp tem 24 horas para normalizar o abastecimento de água ou apresentar medidas alternativas à população, para disponibilizar fornecimento de água gratuitamente e em diversos pontos divulgando através dos meios de comunicação”.

No documento, a Prefeitura lembra que a Sabesp possui o dever de cumprir as normas do Código de Defesa do Consumidor (CDC), prestando serviço de forma contínua e eficaz, e se responsabilizando pela reparação de danos causados aos consumidores. Além disso, o documento extrajudicial atesta que no dia 27, a Sabesp inaugurou a Estação de Tratamento de Água (ETA) Jurubatuba e que na ocasião afirmou resolução de qualquer problema referente ao abastecimento de água no Município.

Guerato explica também que o Procon Guarujá estará, neste fim de semana verificando em residências e estabelecimentos comerciais se a água voltou às torneiras.

A população pode oficializar reclamação sobre a falta de água junto ao órgão.