X

Cotidiano

TJSP mantém tarifa de ônibus a R$ 3,20 em Guarujá

Decisão foi proferida na última quinta-feira (20), pela 8ª Câmara de Direito Público do Tribunal

Da Reportagem

Publicado em 25/04/2017 às 10:00

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

O aumento da tarifa de ônibus foi estabelecido pela gestão anterior por meio do Decreto 12.015, de dezembro de 2016, que autorizou a elevação da tarifa para R$ 3,70 / Matheus Tagé/DL

A 8ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) manteve em R$ 3,20 o valor da tarifa de ônibus em Guarujá, em decisão que julgou agravo de instrumento – um recurso - interposto pela concessionária de transporte público de Guarujá, a Translitoral.

A decisão foi proferida na última quinta-feira, e confirma liminar da 1ª Vara da Fazenda Pública de Guarujá, julgada no mês passado.

Segundo o relator do processo, o desembargador Antonio Celso Faria, “a pretendida revisão da tarifa dos serviços, cujo índice não está previsto no Termo de Autorização para Exploração do Serviço Público de Transporte Coletivo de Passageiros e dos Terminais de Passageiros no Município de Guarujá, deverá ser encontrado por meio de complexo processo de análise e não somente pelos índices oficiais de inflação”.

O desembargador disse ainda que não vislumbra, por ora, “relevante fundamentação ou risco iminente de lesão grave ou de difícil reparação que justifique a concessão da medida enquanto se aguarda a solução final deste recurso”.

Decreto

O aumento da tarifa de ônibus foi estabelecido pela gestão anterior por meio do Decreto 12.015, de 19 de dezembro de 2016, que autorizou a elevação da tarifa para R$ 3,70.

Na ocasião, o então prefeito eleito Válter Suman se posicionou contrário à decisão nas redes sociais, e ao tomar posse determinou estudos para a revogação do decreto.

No dia 13 de fevereiro, em coletiva de imprensa, após forte pressão dos vereadores, Suman anunciou a revogação do aumento, concretizado com a publicação do Decreto 12.098.  

Suman também anunciou que seria encaminhada à Translitoral uma notificação extrajudicial objetivando a revogação/anulação do termo de autorização vigente, deixando clara a existência de ilegalidades insanáveis no processo administrativo.

Em primeira instância, o juiz Cândido Alexandre Munhóz Perez corroborou essas afirmações, argumentando que o decreto que revogou o aumento “se baseou sim em elementos concretos”. Ele ressaltou ainda que a empresa presta esse serviço, atualmente, com base em “termo de autorização”, que não prevê o reajustamento periódico das tarifas.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Oportunidade

Praia Grande oferece 50 vagas gratuitas para oficina de fotografia

Inscrições começam na próxima segunda (22), no Palácio das Artes

COPA DO BRASIL

Sorteio define mandos das semis da Copa do Brasil; veja quem decidirá em casa

É a primeira vez na história que uma competição de cunho nacional terá a decisão das semis sendo do eixo Rio-SP, com 2 de cada estado

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software