LIMPEZA URBANA

Terracom negocia com categoria e suspende greve desta quinta-feira (11)

Em reunião conciliatória, empresa e categoria acordaram em suspender paralisação; trabalhadores rejeitaram reajuste proposto

Luana Fernandes

Publicado em 10/07/2024 às 20:28

Atualizado em 10/07/2024 às 20:28

Comentar:

Compartilhe:

Categoria tinha aprovado paralisação na última semana para esta quinta-feira (11) / Divulgação/Siemaco

Os trabalhadores da Terracom, que atuam no Litoral de São Paulo, estão em negociação com a empresa para evitar a paralisação dos serviços nos próximos dias. Com greve marcada para o início desta quinta-feira (11), a categoria - representada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Prestação de Serviços de Asseio e Conservação e Limpeza Urbana (Siemaco) - decidiu pela suspensão da ação em reunião conciliatória.

Em resposta ao Diário do Litoral, a Terracom informou que “as partes acordaram pela suspensão da paralisação, que estava programada para o dia de hoje, para que ocorra a retomada da negociação.  Sendo assim, os serviços de limpeza pública não sofrerão paralisações, contando com todo seu contingente e mantendo o cronograma usual”, informou. A empresa ainda garantiu que está “tratando do assunto com absoluta prioridade, sempre para evitar quaisquer prejuízos aos nossos colaboradores e clientes”.

Mediado pela juíza auxiliar da Vice-Presidência Judicial, Soraya Galassi Lambert, o encontro terminou com a aceitação das partes pela cláusula de paz proposta pela Justiça do Trabalho para que continuem as negociações e se suspenda a greve até o prócximo dia 15.

Para que os sindicatos cheguem a um acordo, a magistrada também sugeriu reajuste salarial de 4,8% aos trabalhadores e manutenção das cláusulas sociais e dos percentuais já vigentes para os demais itens de natureza econômica.

O sindicato patronal se comprometeu a levar a proposta à análise da diretoria e a informar nos autos uma resposta até o dia 15, sem prejuízo de comunicação direta com o sindicato profissional.

Segundo a Justiça do Trabalho, em razão da aceitação da cláusula de paz, não foi analisado pedido liminar pela manutenção de efetivo mínimo de serviços sob pena de multa em caso de paralisação.

Por que os trabalhadores da Terracom querem parar?

Os funcionários da empresa que atuam em Bertioga, Cubatão, Guarujá, Praia Grande, Santos e São Vicente rejeitaram a proposta salarial da empresa de limpeza urbana. Durante a semana passada, os representantes do Siemaco realizaram assembleias em todas as garagens da empresa e os funcionários consideraram a oferta insatisfatória. 

Segundo o presidente do sindicato, André Domingues de Lima, a categoria pede aumento real de 1,6% em consonância com a média nacional de reajuste salarial de 1,52% de abril de 2023 a março de 2024. Ele considera ainda que a proposta de 5% de aumento salarial está dentro da média nacional. Hoje, o salário base de um coletor é de R$ 1.512,00 e o de um varredor é R$ 1.454,22.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Santos

Santos terá museu de artes plásticas com entrada gratuita; veja

A expectativa é que obras de Nuno Ramos, Jarbas Lopes e Sergio Romagnolo cheguem a cidade

Diário Mais

Artista usa inteligência artificial e emociona ao mostrar como estariam os Mamonas hoje

Grupo musical morreu em trágico acidente aéreo em 2 de março de 1996

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter