Cotidiano

Terminal tem primeira mulher a atuar como Operadora de Costado no Porto de Santos

O vínculo de Paula Santana é mais uma quebra de barreiras do setor, cujo posto -conhecido também como capatazia- foi majoritariamente ocupado por homens ao longo dos anos

Luana Fernandes

Publicado em 19/09/2022 às 16:40

Atualizado em 19/09/2022 às 18:52

Comentar:

Compartilhe:

Registrada na DP World Santos, Paula Bispo de Santana foi assistente de operações no terminal por dois anos (foto meramente ilustrativa) / Divulgação

Há um mês, o Porto de Santos conta com a primeira mulher na função de Operadora de Costado - cargo popularmente conhecido como capatazia. O cargo tem como responsabilidade fazer a atracação e desatracação dos navios, amarrando-os ao cais, além de retirar e colocar as chamadas "castanhas" (peça que une as vigas dos contêineres), colocar cabos de aço, ganchos, entre outros, em contêineres superdimensionados ou cargas soltas.

A função, de extrema importância para o bom desempenho do Porto, também apoia na retaguarda, conduzindo empilhadeiras de pequeno porte no cais, quando necessário, para transportar materiais e ferramentas.

Registrada na DP World Santos, Paula Bispo de Santana foi assistente de operações no terminal por dois anos. Na nova função, ela irá auxiliar ativamente nas operações de carga e descarga de navios e caminhões no terminal, assegurando um processo seguro e eficaz.

"Estou honrada em fazer parte de um marco no Porto de Santos e na DP World Santos, que incentiva que as mulheres façam história no setor portuário. A confiança da empresa neste meu novo passo mostra que ela reconhece as oportunidades que nós temos em meio a um setor predominantemente masculino", celebra Paula.

A equidade de gênero é uma das áreas de foco da Estratégia de Sustentabilidade do Grupo DP World, e está baseada nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU. No Brasil, o terminal contabiliza atualmente mais de 200 mulheres no quadro de funcionários, que atuam tanto nas áreas administrativas quanto operacionais. O número é mais que o dobro de funcionárias que atuavam em 2013, ano em que a empresa foi inaugurada.

A expansão da infraestrutura para se tornar um complexo multipropósito e a nova oferta de serviços oferecidos pela DP World Santos têm contribuído para o ingresso de cada vez mais mulheres no quadro de funcionários.

"Somos pioneiros na valorização das mulheres no Porto de Santos, pois o empoderamento feminino compõe uma das três principais áreas de legado de nossa estratégia ESG. Há muitas outras oportunidades que estamos fomentando para este público e para os demais perfis diversos que trabalham conosco", explica Alcino Therezo, Diretor de Pessoas da DP World Santos. No ano passado, a empresa promoveu Fabiana Almeida do Nascimento, a primeira mulher para o cargo de operadora de portêiner (o maior e mais caro equipamento portuário) do Porto de Santos.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Capital

PM atende uma das maiores ocorrências da história e apreende milhões de cigarros

No total, foram apreendidos cerca de 11,8 milhões de cigarros contrabandeados, divididos em três marcas diferentes

Itanhaém

Livro 'Encantamento' é lançado em Itanhaém

Diversos autores e o público em geral prestigiaram o lançamento do livro na Biblioteca Municipal, na noite de quinta-feira (11)

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter