Tempestades de verão vão persistir nos próximos dias

Elas serão fortes, volumosas, com raios e ventanias, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia

Comentar
Compartilhar
09 JAN 2020Por Folhapress13h23
As tempestades são formadas quando o tempo fica abafado pelo intenso calor e muita umidadeFoto: Nair Bueno/DL

Mais temporais são aguardados nos próximos em grande parte do estado de São Paulo. As típicas chuvas de verão continuarão aparecendo sempre aos finais das tardes ao longo da estação. E serão fortes, volumosas, com raios e ventanias.

Elas são formadas quando o tempo fica abafado pelo intenso calor e muita umidade. Nessas condições, as tempestades causam muitos estragos.

Segundo o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), a intensidade das próximas chuvas deverá ser a mesma da que atingiu a capital paulista nesta quarta-feira (8). Choveu na cidade 60,2 milímetros -o maior volume de chuva desta quarta em todo o estado, de acordo com o Inmet.

Nesse patamar, o volume de chuva acumulado alcançou 159,8 milímetros, pouco mais da metade da média histórica para o mês de janeiro, que é de 264 milímetros.

Entre esta quinta-feira (9) e o próximo sábado (11), as tempestades de verão continuarão sendo formadas pelo tempo abafado, diz o meteorologista Marcelo Schneider, do Inmet.

Cidades localizadas no leste, no norte e no nordeste do estado serão bastante afetadas pelos temporais passageiros do verão.

Mas no final de semana, diz Schneider, as chuvas serão provocadas por outro fenômeno climático: a frente fria. "Ela vai se formar na região Sul do país e se deslocará pelo sudeste derrubando um pouco as temperaturas".

Baixada Santista

Para o final de semana, a previsão também não é nada animadora: tempestades isoladas com trovoadas. No sábado (11), a chuva deve começar por volta das 10 horas e podendo continuar até as 20h. O clima, porém, seguirá abafado. A máxima será de 29º e a mínima 26º. O tempo não deve mudar para o domingo (12). A máxima será de 31°C e a mínima 26°C.

Saiba o que fazer antes das chuvas:

o Acompanhe os boletins meteorológicos pelos órgãos da imprensa;
o  Mantenha limpos os ralos, esgotos, bueiros e valas;
o  Realize a limpeza do telhado, das calhas (acúmulo de folhas) e verifique a existência de buracos;
o Não jogue lixo ou entulho em lotes baldios, bueiros, quintais, nos córregos e na rua;
o Reforce muros e paredes que tenham perigo de cair;
o Verifique as instalações elétricas,
o Desligue e desconecte os aparelhos elétricos, quando perceber chuvas fortes acompanhadas de raios;
o Coloque em lugar alto, móveis e outros pertences, caso sua moradia esteja localizada em área de risco ou em locais sujeitos a alagamentos;
o Saiba onde existe um lugar seguro, para um caso de emergência;
o Nunca deixe crianças sozinhas.

Durante as chuvas:

o Evite sair de seu local durante as chuvas, aguarde a intensidade diminuir ou a chuva acabar;
o Mantenha-se atento aos níveis da água, procure um lugar seguro ao sinal de qualquer aumento;
o Mantenha as portas e janelas da casa fechadas, para evitar entrada de ventos fortes e animais indesejados;
o Não deixe as crianças brincarem na chuva ou em enxurradas, há risco de doenças e acidentes;
o Não se proteja embaixo de árvores, pois elas podem cair e atrair raios;
o Se for levado pelas águas, procure se agarrar em algo que flutue;
o Não se arrisque em atravessar a pé ou com veículos as ruas e áreas alagadas;
o Se sua casa estiver em risco de alagamento ou desabamento, chame imediatamente o Corpo de Bombeiros (193) e a Defesa Civil (199)

Depois das chuvas:

o Verifique as instalações elétricas antes de ligá-las;
o  Cuidado com a água que for beber, ela pode estar contaminada;
o  Cuidado com os alimentos, eles podem ter sido contaminados ao contato com a água;
o  Não utilize água de poço (cisterna) antes de ser tratada pela Vigilância Sanitária;
o  Faça uma revisão de possíveis danos em sua moradia (paredes, telhados...);
o  Cuidado com animais indesejados (aranhas, cobras e ratos em casa);
o Em caso de febre, vômitos, diarreias e dores de cabeça ou no corpo, procure um posto de saúde.

Fonte: Corpo de Bombeiros