Tempestade reflete na rotina da segunda-feira

Munícipes enfrentaram interdições no trânsito e árvores caídas pelo caminho

Comentar
Compartilhar
30 ABR 2019Por Vanessa Pimentel07h20
O trânsito ficou complicado na segunda-feira devido a falta de energia e a retirada das árvoresFoto: Nair Bueno/DL

A Baixada Santista amanheceu ontem com menos 131 árvores. Todas foram ao chão em poucos minutos, durante a forte tempestade que atingiu a região na tarde de domingo (28).

Com a queda, algumas levaram junto a fiação e deixaram sem luz milhares de pessoas. A explosão de geradores em Santos também foi registrada.

Se somadas às 341 árvores que caíram durante a temporada de verão 2018-2019, entre dezembro e março, a Baixada perdeu até agora 472 árvores.

O trânsito também ficou complicado na segunda-feira em toda a região devido a falta de energia elétrica e às operações de retirada das árvores. Em Santos, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) liberou parcialmente, no fim da tarde de ontem, as ruas Guaiaó, Campos Melo, Frei Francisco Sampaio, Vahia de Abreu, Parará e Av. Rodrigues Alves e canal 4.

Os serviços estão sendo feitos pela equipes da SESERP, CET, Defesa Civil, CPFL que, em conjunto, concentraram esforços para agilizar a liberação das vias.

Houve também um pequeno deslizamento na rua São Cristóvão s/ nº, no Morro São Bento, sem vítimas ou desabrigados.

Defesa Civil

Quanto a chuva, a Defesa Civil informou que os morros continuam em estado de atenção.

Foram registradas em Santos 56 quedas de árvores, duas vistorias estruturais, seis queda de materiais, dois destelhamentos e o bairro que mais fez chamados foi a Vila Mathias, com 10 ligações.

Guarujá perdeu 42 árvores e não houve vítimas, apenas danos materiais. Até o fim da tarde de ontem foram retiradas 25 árvores das vias, já que ofereciam risco a moradias.

Já São Vicente registrou a queda de 15 árvores, e uma delas, localizada na Praça Antônio Carlos Menon, no Gonzaguinha, atingiu duas pessoas, uma delas morreu. A outra vítima, um ambulante de 72 anos, foi encaminhada ao Hospital Municipal de São Vicente com quadro de saúde estável.

Em Praia Grande 11 árvores caíram; Cubatão apenas uma e em Bertioga, apenas galhos de árvores. Os serviços continuam hoje.