Telma exige providências da Prefeitura com relação às declarações racistas de secretário-adjunto de Turismo

No áudio, o secretário declara uma série de ofensas de cunho racista

Comentar
Compartilhar
18 ABR 2019Por Pedro Henrique Fonseca13h25
Em nota, o autor reconheceu a veracidade dos áudios e se disse arrependidoFoto: Reprodução/YouTube

A presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara de Santos, Telma de Souza, exigiu uma manifestação oficial e providências da Prefeitura com relação às declarações racistas do secretário-adjunto de Turismo de Santos, Adilson Durante Filho, que, numa conversa de whatsapp, afirma, entre outras frases, que "os pardos brasileiros são todos mau-caráter". 

"Exijo que o Governo Municipal se pronuncie e providências sejam tomadas. Racismo é crime e não condiz com a função pública exercida", cobra Telma. "Não podemos aceitar que o ódio e o preconceito reverberem em nossa Cidade."

O áudio, que está viralizando nas redes sociais e em grupos de WhatsApp de toda a Região, foi divulgado na noite de quarta-feira (17), pelo programa Sucupira Conection, da Rádio da Vila. Nele, o secretário declara uma série de ofensas de cunho racista.

Em nota enviada à Revista Fórum, o autor reconheceu a veracidade dos áudios e se disse arrependido "quanto às palavras genericamente proferidas".

Para Telma, a resposta da Prefeitura deve ser exemplar: "Cabe ao Poder Público condenar taxativamente esse tipo de preconceito, que vem ganhando eco justamente por declarações que incentivam essa conduta, inclusive partindo do próprio presidente da República".

Colunas

Contraponto