SV: Aluna de 5 anos faz sucesso na internet com aula sobre como evitar a dengue

A pequena Maitê Andrade produziu vídeo com a mãe mostrando os cuidados de eliminar criadouros

Comentar
Compartilhar
22 ABR 2021Por Da Reportagem13h10
A produção contou com o apoio da mãe, Danielle Santos Andrade, 36 anosA produção contou com o apoio da mãe, Danielle Santos Andrade, 36 anosFoto: Divulgação/PMSV

Um vídeo protagonizado por Maitê Andrade, de 5 anos, tem chamado a atenção nas redes sociais.  Na produção, a aluna da creche Eduardo Furkini (Parque das Bandeiras) deu uma verdadeira aula sobre como evitar a dengue. Assista abaixo.

De uma forma lúdica, e com muita criatividade, Maitê explica sobre a necessidade de eliminar focos de água, que servem como criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya.

A produção contou com o apoio da mãe, Danielle Santos Andrade, 36 anos. “A professora passou um vídeo falando sobre o assunto. A Maitê assistiu e ficou superinteressada em acabar com os focos de água. Percebi essa vontade nela e chamei-a para brincar, simulando todos os procedimentos”, disse a mãe, que construiu até o “mosquitão” com algumas sucatas, acetato e cola quente. A arte final ficou por conta da filha, que pintou o inseto.

Aprender se divertindo

Foi nesse espírito de mesclar diversão com aprendizado que Danielle gravou o vídeo, em que Maitê interage com a sua boneca para mostrar como ocorre a transmissão e quais as formas de evitar a doença. “O vídeo foi o retorno de uma atividade desenvolvida pela professora Roma”, disse Leny Ferreira da Cunha Cruz, coordenadora pedagógica da creche juntamente com Juliana Marland de Assis. “O que nos encantou foi a forma como a Maitê conduziu o vídeo, com um olhar muito pedagógico”.

Professora há 19 anos, Roma Soares Gonçalves, enalteceu o envolvimento da mãe da menina. “Por mais que o professor se empenhe do outro lado da tela, a participação dos pais é muito importante para essa formação neste momento tão difícil que vivemos”, afirmou, desabafando que espera ansiosamente o retorno às aulas presenciais, tão logo seja possível, para conhecer os seus alunos pessoalmente.

“Fiquei muito orgulhosa da Maitê. Os alunos são agentes multiplicadores de informação e quando surgiu a proposta da atividade sobre dengue, a ideia era exatamente esta”, afirmou a professora.