GOVERNO SAUDE

Som abusivo é quase 40% das mais de 16 mil ocorrências registradas nas praias

Este é o saldo de 30 dias de fiscalização, registrado pela Operação Verão, que visa garantir o ordenamento das praias do Município - do Guaiúba ao Perequê

Comentar
Compartilhar
28 JAN 2020Por Da Reportagem18h02
A ação envolve mais de 100 agentes públicosFoto: Divulgação/PMG

Em 30 dias, Guarujá registrou 16.759 ocorrências durante a Operação Verão, que visa garantir o ordenamento das praias – do Guaiúba ao Perequê. Entre os itens fiscalizados, relacionados a práticas não regulamentadas pelo Município, o maior número registrado é o de som abusivo na faixa de areia, ou seja, 6.558 casos, o que representa 39,13% do total de ocorrências.

Balanço realizado pela Diretoria de Operações Especiais e Fiscalização de Taxas, que conduz a fiscalização que envolve todas as secretarias municipais, aponta no período de 14 de dezembro de 2019 a 15 de janeiro deste ano um aumento de 79,6% no número de ocorrências em relação ao mesmo período no ano passado.

A ação envolve mais de 100 agentes públicos da Fiscalização de Comércio e Posturas, Diretoria de Trânsito, fiscais sanitários e de Meio Ambiente, Zoonoses e Guarda Civil Municipal, com o auxílio da Polícia Militar.

Além de som abusivo, a Operação Verão fiscaliza outras irregularidades ao longo das praias, e também orienta banhistas e ambulantes, por meio de distribuição de panfletos. Até o último dia 15, foram distribuídos 3.465 panfletos educativos.

No período de 30 dias foram coibidos abusos com relação à montagem de tendas (912 ocorrências); circulação de animais na faixa de areia (909); práticas de esportes em locais e horários proibidos (530); ambulantes irregulares (1.846); churrasqueiras (13); reserva de espaço para mesas e cadeiras (21); apreensões de material irregular sendo comercializado (92); barracas de camping (168); e ordenamento (195 ocorrências).

A fiscalização ostensiva segue durante a temporada de verão, até terça-feira de Carnaval, monitorando toda a orla de Guarujá para garantir, além do ordenamento das praias, a segurança dos frequentadores, a qualidade ambiental e a higiene pública.