Sobe para 30 número de mortos em confrontos no Egito

Manifestações ocorreram após a divulgação da sentença de morte de 21 torcedores, acusados por uma briga que deixou 74 mortos, em 2012.

Comentar
Compartilhar
27 JAN 201310h06

Autoridades da área de saúde da cidade de Port Said, no Egito, informaram que o número de mortos nos confrontos no local subiu pelo menos para 30, incluindo dois policiais e dois jogadores de futebol.

As manifestações ocorreram após a divulgação da sentença de morte a 21 torcedores, acusados por uma briga que deixou 74 pessoas mortas na cidade em fevereiro do ano passado. Os confrontos dessa sexta-feira (25) e deste sábado (26) deixaram ainda 300 feridos.

A briga entre torcedores do Al Masry e do Al Ahlym foi considerada o episódio mais violento da história do futebol egípcio. Além disso, na ocasião ela desencadeou uma onda de protestos nos quais morreram mais 16 pessoas.

A condenação dos torcedores à morte foi anunciada um dia depois de uma série de manifestações para marcar o segundo aniversário da queda de Hosni Mubarak.

Desde quinta-feira (24) manifestantes da oposição já tomavam as ruas do Cairo, capital do Egito, protestando contra o presidente egípcio. (Foto: Lusa/ ABr)