Sindserv quer 7,7% de reajuste salarial

Segundo a direção do Sindserv, há dois meses os servidores entregaram para o Governo a pauta de reivindicações da Campanha Salarial 2018

Comentar
Compartilhar
01 FEV 2018Por Da Reportagem09h12
A Prefeitura informou ontem que as reivindicações do funcionalismo estão em processo de negociação e a Administração segue dialogando com os ­sindicatos que representam a ­categoriaFoto: Rodrigo Montaldi/DL

Servidores públicos, liderados pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Santos (Sindserv), estiveram no final da tarde de ontem no Paço cobrando 7,7% de reajuste da Administração Paulo Alexandre Barbosa (PSDB). Eles foram recebidos pelo secretário de Gestão, Carlos Teixeira Filho, o Cacá Teixeira.

Segundo a direção do Sindserv, há dois meses os servidores entregaram para o Governo a pauta de reivindicações da Campanha Salarial 2018. Na última reunião com Cacá, ficou definido que uma resposta seria dada já em dezembro, mas até hoje ela não veio.

A Prefeitura informou ontem que as reivindicações do funcionalismo estão em processo de negociação e a Administração segue dialogando com os ­sindicatos que representam a ­categoria.  

A data-base dos servidores é fevereiro. Neste sentido, alguma possível reposição já não entrará no holerite dos trabalhadores este mês.

Além do reajuste - 2,7% referentes a inflação dos últimos 12 meses (IPCA) e 5% como parte das perdas de anos anteriores – a categoria reivindica correção do valor do auxílio alimentação para R$ 26,00 (vinte e seis reais) ao dia, totalizando R$ 572, por mês e a extensão do benefício ao segundo registro dos servidores com dois registros funcionais.

Cesta básica

A diretoria do sindicato também informa que os servidores querem a correção do valor da Cesta Básica para R$ 380,17, conforme Diário Oficial, bem como a extensão do benefício a todos os servidores da Prefeitura (ativos e inativos) e ao segundo registro dos servidores com dois registros funcionais; mais 1% de contribuição da Prefeitura para a CAPEP Saúde; e implantação de medidas urgentes de contenção de ­despesas.

Secretarias

Na contenção, o Sindserv pede a extinção de quatro secretarias - Desenvolvimento Econômico e Inovação; Comunicação e Resultados; Defesa da Cidadania; Assuntos Portuários – e fusão da secretaria de Esportes com a de Turismo e de Segurança com o Gabinete do Prefeito.

Pedem mais: a extinção de 30% de cargos de livre provimento de diversas secretarias; a redução de 20% nos valores dos salários do prefeito, dos cargos de confiança e dos vereadores e imediata abertura de concurso público para todas as áreas, além da nomeação dos trabalhadores aprovados nos concursos vigentes, bem como o cumprimento integral dos planos de carreira e criação de cargos em número suficiente para suprir a necessidade dos serviços públicos em todas as áreas e várias outros pedidos e até revogações de leis que permitiram a terceirização dos serviços públicos.
 
Guarujá

Em Guarujá, o Sindserv pede ao prefeito Válter Suman (PSB) um reajuste salarial de 3,35% e aumento real de 6%, totalizando 9,35%. A pauta, com 16 itens, foi encaminhada ontem ao prefeito e prevê aumento do auxílio alimentação de R$ 600,00 para R$ 750,00. Com data-base em abril, os seis mil servidores serão convocados para nova assembleia assim que a diretoria do sindicato receber resposta.

Procurada, a Prefeitura de Guarujá informa que a Secretaria de Administração fará a devida análise, assim receber oficialmente a proposta.