FEMINICIDIO

Sessão da Câmara de Cubatão tem, hoje, nova eleição da Mesa

Após a eleição da nova Mesa, que será regida pelo então presidente Wagner Moura (PT), a sessão prossegue com a votação das comissões da Câmara

Comentar
Compartilhar
03 FEV 201510h43

Hoje, o imbróglio na Câmara de Cubatão pode chegar ao fim. A primeira sessão do ano será aberta com uma nova eleição para definir a Mesa Diretora para o próximo biênio. A composição eleita, que contava com a participação dos vereadores Aguinaldo Araújo (presidente), Ivan Hildebrando (vice), César Nascimento (segundo secretário) — todos do PDT —, além do vereador Ademário Oliveira (PSDB), como segundo secretário, foi desfeita por mandado de segurança impetrado pelo Pros, representado pelo vereador Fábio Moura no Legislativo cubatense, e concedido na última semana pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP).

O Partido Republicano de Ordem Social (Pros) impetrou mandado de segurança contra a nova presidência da Câmara, alegando que a eleição para a Mesa Diretora não respeitou o princípio da proporcionalidade — dos quatro cargos, três são do PDT. No último dia 22, o juiz Rodrigo de Moura Jacob julgou o mérito e concedeu a segurança pleiteada em primeira instância.

Especula-se uma nova composição para a eleição de hoje com os três principais opositores ao Executivo. Aguinaldo Araújo fica na presidência, Dinho Heliodoro (SDD) seria o novo vice-presidente, Ademário permanece na primeira secretaria e Severino Tarcício Dóda (PSB) seria o segundo secretário. Após a eleição da nova Mesa, que será regida pelo então presidente Wagner Moura (PT), a sessão prossegue com a votação das comissões da Câmara.

A primeira sessão do ano será aberta com uma nova eleição para definir a Mesa Diretora para o próximo biênio (Foto: Matheus Tagé/DL)

Novela

No dia 9 de dezembro, a Câmara aprovou a composição: Aguinaldo Araújo como presidente, Ivan Hildebrando (PDT) como vice-presidente, Ademário Oliveira (PSDB) como primeiro secretário e César da Silva Nascimento (PDT) como segundo secretário.

Na semana seguinte, o Pros — representado por Moura — impetrou o mandado de segurança, que foi derrubado por liminar da mesa no dia 28 de dezembro de 2014. No último dia 22 de janeiro, o juiz alegou que a decisão foi tomada durante o recesso e concedeu a segurança pedida pelo partido.
 

Colunas

Contraponto