Serra da Anchieta passará por manutenção programada até junho

Serviços serão realizados a partir de 7 de abril, nas pistas norte e sul, de terça a quinta-feira, das 5h às 17h.

Comentar
Compartilhar
01 ABR 201517h01

Em continuidade ao trabalho de manutenção programada, realizado anualmente no trecho de serra da rodovia Anchieta, a Ecovias, concessionária que administra o Sistema Anchieta-Imigrantes (SAI), fará intervenção do km 40 ao km 55 da via, entre os meses de abril e junho. Os serviços ocorrerão de forma alternada nas pistas sul e norte, de terça a quinta-feira, entre 5h e 17h, e incluem recuperação profunda de pavimento, recapeamento com asfalto borracha, manutenção e reparos em viadutos e túneis, limpeza e revitalização de sinalização, monitoramento de encostas e podas pesadas de árvores e vegetação.

Por questões de segurança, o trecho ficará totalmente interditado durante a execução dos serviços.  Nos períodos de intervenção da pista sul, o tráfego de caminhões e ônibus — que devem obrigatoriamente descer a serra pela Anchieta — será deslocado para a pista norte da via, que irá operar em sentido invertido no trecho de serra. Quando os trabalhos ocuparem a pista norte da via, a descida de veículos pesados ocorrerá normalmente pela pista sul. Em ambos os casos, a subida de veículos na direção de São Paulo será feita somente pela rodovia dos Imigrantes.

Os serviços ocorrerão de forma alternada nas pistas sul e norte (Foto: Luiz Torres/DL)

Ao todo, serão 30 dias de trabalho previstos: 7, 8, 9, 14, 15, 16, 23, 28 e 29 de abril; 5, 6, 7, 12, 13, 14, 19, 20, 21, 26, 27 e 28 de maio e dias 9,10, 11, 16, 17, 18, 23, 24 e 25 de junho. Os serviços serão interrompidos nos feriados de Tiradentes, de 17 a 22 de abril; Dia do Trabalho, de 30 de abril a 4 de maio, e Corpus Christi, de 3 a 8 de junho.

O coordenador de pavimentação e conservação da Ecovias, Naélson Cândido, lembra que, por concentrar alto volume de tráfego de caminhões, a pista sul da Anchieta exige manutenções periódicas para garantir segurança viária e conforto aos usuários. “Além das intervenções pontuais que realizamos ao longo do ano, a interdição do trecho é importante para a realização de ações mais complexas”, explica.

Estrategicamente realizada sempre nesse período do ano, após a temporada de chuvas, as intervenções são programadas para datas com previsão de menor volume de tráfego. “Como em 2015 temos uma série de feriados com emendas, vamos pular essas datas para não prejudicar a viagem dos usuários”, diz Cândido.  “Dessa forma, a manutenção é feita com mais agilidade e segurança tanto para os usuários da via quanto para os profissionais envolvidos no trabalho”, finaliza.