Serra anuncia início das obras da ETA Mambu-Branco

Aumento da distribuição de água tratada beneficiará 1,2 milhão

Comentar
Compartilhar
03 FEV 201317h07

Um dos principais problemas metropolitanos da Baixada Santista, a falta d’água recorrente durante as temporadas de Verão devido ao excesso de consumo pela população fixa e flutuante, está com os dias contados. Ontem pela manhã, o governador do Estado, José Serra, anunciou, em Praia Grande, a construção da Estação de Tratamento de Água (ETA) Mambu-Branco, que será instalada em Itanhaém e integra o programa ‘Água no Litoral’, de tratamento e fornecimento de água tratada.

A solenidade de lançamento da nova estação aconteceu no bairro Caiçara, próximo à obra do terceiro emissário submarino de Praia Grande que faz parte do programa estadual ‘Onda Limpa’, de coleta e tratamento de esgoto. Prefeitos e deputados estaduais e federais da Região acompanharam José Serra em sua visita aos empreendimentos anunciados na Baixada.

Segundo o governador, a ETA Mambu-Branco demanda investimentos da ordem de R$ 300 milhões e a conclusão está prevista para daqui a dois anos e meio. A Estação de Tratamento de Água (ETA) Mambu-Branco e adutoras do sistema, embora situada em Itanhaém, atenderá os municípios de Peruíbe, Mongaguá, Praia Grande e Área Continental de São Vicente.

As obras de 55 quilômetros de adutoras para o transporte de água já começaram. A água será captada dos rios Mambu (o que já ocorre atualmente) e Branco. Com a nova ETA, a capacidade de abastecimento aumentará de 600 litros/segundo para 1.600 litros/segundo.

Programa ‘Água no Litoral’

O programa Água no Litoral prevê novas 85,5 mil ligações de água, em todo o litoral e demanda um custo de R$ 1,6 bilhão. Segundo o superintendente regional da Sabesp, Reynaldo Young, o programa deverá solucionar o problema de falta d’água no litoral não só na temporada, mas nas próximas décadas.

“São megaempreendimentos que vão resolver de uma vez por todas não só o problema da qualidade de água, mas também um aumento na quantidade de água disponível para a população da Região”.

‘Água no Litoral’ vislumbra ainda a implantação da ETA Antas, em Mongaguá, com capacidade de 160 litros/segundo, o remanejamento da adutora do sistema ITU, em São Vicente, a melhoria e adequação da ETA Guaxinduba, em Caraguatatuba, e a adequação das unidades de tratamento de água do sistema Pedrinhas, em Ilha Comprida, no Vale do Ribeira.

Praia Grande

Na Cidade serão instalados o Centro de Reservação Melvi e adutoras de água tratada, com dois reservatórios (capacidade de 10 mil litros cúbicos cada) e Estação Elevatória de Água Tratada EEAT. As obras orçadas em R$ 23 milhões devem ser concluídas ainda este ano.  

Emissário Submarino

Quanto ao emissário submarino o governador declarou que “o esgoto será lançado a quatro quilômetros da praia. O esgoto será tratado para depois ser despejado no mar. A Cidade vai ficar completamente limpa, o que significa melhor saúde para as pessoas, melhor meio ambiente, melhor cheiro. É uma obra muito importante para o futuro de Praia Grande e de toda a Baixada Santista”.

Onda Limpa

O emissário integra o programa ‘Onda Limpa’ que tem por objetivo ampliar o sistema de coleta e tratamento de esgoto na Baixada Santista e Litoral Norte elevando os índices de 53% (dados de 2007) para 95%, na Baixada Santista, e em 85%, no Litoral Norte, até 2012. “Estamos fazendo obras do litoral norte até Peruíbe. Um investimento de R$ 1,5 bilhão”.