Semana será de chuva e ventos fortes nas cidades da Baixada

A semana deve ser de pancadas de chuva forte com rajadas de vento no litoral paulista

Comentar
Compartilhar
14 FEV 201323h51

A informação é da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil. Segundo o boletim meteorológico especial da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil da Casa Militar, áreas de instabilidade sobre as regiões da Baixada Santista, Vale do Ribeira, Vale do Paraíba, Campinas e Sorocaba, provocarão chuvas de moderada a forte até Quinta-feira, podendo ocasionar alagamentos, especialmente na região de Cubatão e Bertioga.

A previsão para esta terça-feira é de chuva moderada a forte ao longo do dia. A continuidade da chuva deve resultar em altos acumulados em 24 horas e pode provocar transtornos como alagamentos, transbordamento de córregos e deslizamentos de terra.

A Defesa Civil do Estado alerta ainda para a forte agitação do mar com ventos de intensidade moderada a forte que prejudicam a navegação de pequenas embarcações. Ventos contra a costa também prejudicam o escoamento da água na faixa litorânea e podem causar represamento nos canais.

Cubatão

O coordenador da comissão municipal de Defesa Civil de Cubatão, Antonio Ribeiro, disse que as equipes ficam em alerta quando recebem comunicados como este da Casa Militar. “Trabalhamos com 18 servidores e quando recebemos o alerta de chuvas fortes, duplicamos as equipes”.

Ribeiro esclarece que 1.061 famílias moram em áreas de risco nos bairros Cota, Pilões, Pinhal do Miranda, Pedreira da Mantiqueira, Pilões e no Grotão — área de maior risco. Os números são do levantamento do Plano Municipal de Redução de Riscos, que prevê, a remoção de 440 famílias para conjuntos habitacionais.

Ribeiro explica que durante a temporada de Verão — período de chuvas — a atenção às áreas de encostas com grande risco de deslizamentos são redobradas com a vigência do Plano Preventivo da Defesa Civil (PPDC). O PPDC iniciou no dia 1º de dezembro e segue até o dia 31 de março. “Se houver necessidade podemos até prorrogar o PPDC”, afirmou Ribeiro.

199

Ribeiro orienta que para que as pessoas observem o aparecimento de rachaduras ou tricas no solo e nas paredes, árvores inclinadas, muros embarrigados, ou portas e janelas que não estão abrindo direito. Se houver algumas dessas ocorrências, é necessário informar a Defesa Civil, através do número 199.

Peruíbe

Apesar das chuvas que provocaram enchentes em bairros periféricos da Cidade, a Prefeitura informou que está descartada a possibilidade de novos alagamentos com a previsão de chuvas intensas, nesta semana.

A Prefeitura esclareceu ainda que a situação já está normalizada desde os primeiros dias após as chuvas que castigaram o Município, nos dias 12 e 13 de janeiro. Na ocasião, os bairros Caraguava, Caraminguava, Jardim Veneza e Jardim das Flores ficaram alagados atingindo 25 mil pessoas. Dessas, ao menos 1.200 ficaram desabrigadas.

Desabrigados

As famílias que ficaram desabrigadas necessitam de móveis, segundo a Prefeitura. As doações devem ser entregues no Centro de Convenções, à Avenida São João, 545, no Centro, das 8 às 17 horas. Esclarecimentos pelo telefone 3455-2232 e 3451-2311.