São Vicente terá ônibus municipal em 2019

Com o novo modelo proposto, as atuais lotações saem de circulação, dando lugar aos ônibus e micro-ônibus

Comentar
Compartilhar
01 DEZ 2018Por Caroline Souza09h00
O projeto foi apresentado em coletiva de imprensa realizada na manhã de ontem na PrefeituraO projeto foi apresentado em coletiva de imprensa realizada na manhã de ontem na PrefeituraFoto: Nair Bueno/DL

As lotações de São Vicente serão substituídas por ônibus e micro-ônibus. O novo sistema de transporte vai entrar em funcionamento no início de 2019. O projeto permitirá a interligação com o Veículo Leve sobre Trilhos (VLt). O anúncio foi feito pelo prefeito Pedro Gouvêa, em coletiva na manhã de ontem.

A empresa Fênix Engenharia e Construções Ltda. foi a responsável por viabilizar o estudo. O próximo passo é a realização da audiência pública com a população, seguida da licitação. Por meio de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) entre Prefeitura e Ministério Público, a  Administração Municipal tem até janeiro de 2019 para licitar o novo modelo de transporte municipal.

A empresa vencedora deve colocar 61 ônibus em operação na área continental e 168 micro-ônibus na área insular, totalizando 245 carros. Destes, 229 serão operacionais e o restante de reserva técnica. Ao contrário do que acontece atualmente, todos os bairros serão ­atendidos.

O transporte terá duas linhas insulares e duas continentais funcionando 24 horas. Além de veículos com horário estendido à noite e reforços aos finais de ­semana.

Comércio

Um dos objetivos do projeto é fomentar o comércio do centro, evitando a fuga para cidades vizinhas. Dessa forma, as linhas intermunicipais devem seguir direto pela linha amarela, sem passar pelo centro.

Os passageiros que vierem da área continental não poderão seguir direto para a praia. Os ônibus devem passar pelo centro e seguir até o ponto final no Centro Administrativo, onde funcionava o antigo Centro de Convenções. De lá, será feita a integração com as linhas que vão para a praia.

“A integração municipal será feita sem custo adicional. Já a com o VLT será tarifada, mas ainda estamos em tratativas para chegar aos valores”, explica o secretário de trânsito e transporte, Alexandre de Almeida Costa.

Ainda segundo o secretário, a princípio a interligação se dará apenas com o VLT. Prefeitura e EMTU estão estudando uma futura interligação com os ônibus ­intermunicipais.

Tarifa

O estudo de viabilidade econômica ainda não foi realizado, mas uma coisa é certa: o valor será acima dos R$ 3,00 da tarifa atual.

A nova frota contará com ar-condicionado em 25% dos veículos, acessibilidade em todos os carros, bilhetagem com biometria facial, monitoramento via GPS, câmeras internas e wi-fi. Os carros vão operar sem cobrador.

A previsão é que a vencedora da licitação assine o contrato em fevereiro.

“No transporte, quem vem é que vai contribuir com a Cidade. A Prefeitura só desembolsa nos estudos”, garante Gouvêa.

Cooperativa

A Cooperativa de Trabalho e Serviços do Transporte Rodoviário de Passageiros, responsável pelo transporte atual, só continuará se vencer a licitação.

“A Cooperativa está se adequando para participar da licitação”, comentou o presidente, Wagner Luiz.
Gouvêa explicou que eles têm chances de competir, mas lembrou que “o edital tem regras para todos terem condições iguais”.