Governo SP

São Vicente ganha três novas ambulâncias

Duas viaturas são destinadas aos chamados de suporte básico (SAMU) e a outra atende como Unidade de Terapia Intensiva (UTI)

Comentar
Compartilhar
14 JUN 2019Por Da Reportagem14h27
No início da atual Administração, a Cidade tinha apenas uma ambulância em operaçãoFoto: Divulgação/PMSV

A Secretaria de Saúde (Sesau) de São Vicente recebeu, na manhã desta sexta-feira (14), três novos veículos para o reforço de sua frota. A entrega de duas ambulâncias de suporte básico para atender aos chamados do SAMU (192) e uma Ambulância de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) foi feita pelo prefeito Pedro Gouvêa, no estacionamento do Paço Municipal. Os novos equipamentos foram concedidos pelo Ministério da Saúde e devem aperfeiçoar o serviço de urgência e emergência da Cidade.

"Hoje, com as 17 ambulâncias, o tempo de espera dos chamados fica menor, atingindo a média de oito minutos para o solicitante ser atendido pelo serviço," disse o prefeito. Com as novas viaturas, São Vicente passa a contar com 17 veículos operantes para atender aos chamados.

No início da atual Administração, a Cidade tinha apenas uma ambulância em operação. A média de espera para o atendimento dos chamados era de duas horas. A conquista de garantir maior comodidade e suporte pra a saúde é motivo de alegria para o prefeito Pedro Gouvêa. "Estamos muito felizes com mais essa conquista. Lembrando que, no próximo mês, receberemos a décima oitava ambulância, melhorando ainda mais esse serviço tão importante para a Cidade," afirma Pedro Gouvêa. 

"Com a inclusão destes novos veículos, nossa frota trabalha com maior capacidade de atendimento. Casos mais sérios, como o transporte de pacientes em estado grave, ganham maior suporte com essa nova Unidade Móvel de Terapia Intensiva," explica Luciano Veiga, chefe do Setor de Frotas da Sesau.

A ampliação da frota garante maior segurança e conforto para o trabalho da assistência. "Os veículos possuem uma tecnologia avançada, com equipamentos de segurança atuais, além de estarem com a quilometragem zerada. Tudo isso agrega para o apoio dos pacientes e também para a equipe operante", disse Marcelo de Almeida César, enfermeiro do Samu.

Colunas

Contraponto