Santos terá R$ 104,7 milhões para 1.658 moradias

A garantia é do governador Geraldo Alckmin, que ontem participou da entrega da Maternidade

Comentar
Compartilhar
08 MAI 201411h55

O governador Geraldo Alckmin assinou ontem, durante a entrega da Maternidade Ana Fernandes de Freitas (Ana Parteira), em Guarujá, o convênio entre a Prefeitura de Santos e a Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) para aquisição de dois terrenos: um numa área de 38,2 mil quadrados, no Estradão, na ordem de R$ 34 milhões, para desenvolvimento de projetos habitacionais que irão proporcionar 994 moradias.

As edificações estão dentro do Programa de Desenvolvimento Sustentável do Litoral Paulista e atenderão famílias que vivem em palafitas, em área de risco sócio- ambiental. A previsão é de Santos contar em pouco tempo com mais três empreendimentos, que somarão 664 apartamentos, que custarão R$ 70,7 milhões, totalizando 1.658 moradias e R$ 104,7 milhões de investimentos.

Responsabilidades

Conforme revelado ontem, o município desapropriará terrenos e a Companhia de Habitação da Baixada Santista (Cohab Santista) será responsável pela elaboração dos projetos, com a execução das obras pela CDHU. Serão edificados os conjuntos Santos O, no Jardim São Manoel (205 apartamentos); Santos R, no Morro da Nova Cintra (326 apartamentos); e Santos T, para as famílias da Vila Santa Casa (133 moradias). Após a licitação e emissão da ordem de serviços, as empresas vencedoras terão 24 meses para as duas primeiras empreitadas e 18 meses para última (Vila Santa Casa).

“Pela primeira vez estamos recebendo dinheiro (R$ 34 milhões) do Estado para comprar terreno e construir moradias em áreas de interesse social. Com todos esses projetos, mais o Caneleiras, vamos atender as demandas da Vila Telma, Mangue Seco, Butantã e outros núcleos”, disse o prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa, alertando que deve decretar a desapropriação dos dois terrenos nos próximos dias, com previsão de obras para 2015.

Geraldo Alckmin anunciou verbas para habitação em Santos e inaugurou Maternidade Ana Parteira, em Guarujá (Foto: Luiz Torres/DL)

Paulo Alexandre revelou que na última terça-feira (6) assinou documentos com a Secretaria de Patrimônio da União (SPU), que vai proporcionar a construção de mais 500 unidades habitacionais em três áreas. “As retificações documentais já foram feitas e estamos avançando nesses projetos”.

Vale a pena lembrar que a CDHU também está investindo R$ 54 milhões na edificação dos empreendimentos Tancredo Neves e Caneleiras, em parceria com o Governo Federal e a Prefeitura de Santos. Ao todo, mais 1.800 moradias. Ainda está contratando empresa para revitalização do Conjunto Santos B, no Ilhéu Alto, com investimento de R$ 5,1 milhões.

Fabiane de Jesus

Depois de anunciar os investimentos, na coletiva à Imprensa, o governador Geraldo Alckmin comentou o assassinato da dona de casa Fabiane de Jesus, no Morrinhos, que teve repercussão nacional (leia mais na página 7). “Estou cobrando empenho da polícia para prender os responsáveis. Isso é inadmissível, uma barbaridade que vitimou uma inocente”, disse, lembrando o telefone 181 e a Web Denúncia.

Abastecimento

Cobrado sobre a falta de água, Geraldo Alckmin culpou a falta de frentes frias e revelou que o Governo está ampliando o abastecimento pelo Guarapiranga, pelo Rio Grande e pelo Alto Tietê. “Com isso, conseguimos reduzir de 28 para 23 metros cúbicos por segundo a retirada de água do Sistema Cantareira, sem precisar fazer rodízio e racionamento em São Paulo. Vamos chegar a sete metros cúbicos”.

O governador entregou também veículos escolares adaptados, com capacidade total de 130 alunos cada, para São Vicente, Praia Grande, Peruíbe, Mongaguá, Itanhaém e Guarujá. Para essa última cidade ainda foi ratificada a vinda de um Poupatempo e um restaurante Bom Prato.

- Governador visitou instalações do Hospital Santo Amaro (Foto: Luiz Torres/DL)

Maternidade

A Maternidade Ana Parteira, construída no segundo andar do Hospital Santo Amaro (HSA), tem 38 leitos - 24 servirão de alojamento conjunto e 14 leitos poderão ser usados para pré-parto, parto e pós-parto, sendo que três desses quartos são adaptados para pacientes com deficiência. Tudo totalmente remodelado para atender pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), convênios e particulares.

O Governo Municipal investiu cerca de R$ 3 milhões em obras de melhoria da infraestrutura. Neste valor, está inclusa, ainda, a cessão de mobiliário e equipamentos, além de uma complementação financeira, mensal, que já vem sendo repassada ao HSA para o custeio de profissionais. A unidade está totalmente integrada à Rede Cegonha de humanização do atendimento das parturientes, que preconiza o parto normal e promove todo aparato para a espera, além do amparo deste momento.

É importante salientar ainda sobre a questão de saúde em Guarujá que o governador estabeleceu que o Hospital Santo Amaro passou a ser estruturante, com reforço de R$ 12,4 milhões/ ano para custeio e 60 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Hospital Estruturante é uma das três novas classificações para definir os valores que serão repassados. Há ainda os estratégicos e os de apoio.

Os estruturantes são de grande porte, referência em atendimentos complexos, como atendimentos de UTI Neonatal, cirurgias cardíacas e outros. Os estratégicos, os de médio porte, que atuarão como retaguarda para os estruturantes e os de apoio, considerados de pequeno porte, para internações de longas permanências.