X

Cotidiano

Santos planeja programação pelo Fim da Violência contra as Mulheres

A ação global promovida pela ONU Mulheres começa hoje, dia Laranja pelo Fim da Violência contra as mulheres, e termina no dia 10/12, dia internacional dos direitos humanos, que em 2018 celebra 70 anos.

Da Reportagem

Publicado em 25/11/2018 às 10:12

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

No Brasil, a Campanha ocorre desde 2003 e é chamada 16+5 Dias de Ativismo. / Rodrigo Montaldi/DL

Santos terá 16 dias de atividades diversas organizadas e protagonizadas por mulheres que acreditam na igualdade de gênero como uma premissa de um mundo mais justo e igualitário. A ação global promovida pela ONU Mulheres começa hoje, dia Laranja pelo Fim da Violência contra as mulheres, e termina no dia 10/12, dia internacional dos direitos humanos, que em 2018 celebra 70 anos.

O Dia Laranja Pela Eliminação da Violência contra as Mulheres ressalta o compromisso mundial de adoção da Agenda pelo Desenvolvimento Sustentável 2030, que engloba o plano 50-50 que incentiva a igualdade de gênero, o empoderamento das mulheres e a eliminação da violência contra mulheres e meninas são metas centrais para o desenvolvimento sustentável até 2030 segundo a ONU.

Hoje, primeiro dia da ação, irão se reunir na Praça do BNH para um encontro bem descontraído que pretende promover atividades de reflexão, acolhimento, escuta e confraternização entre mulheres e todos que querem combater a violência contra mulher e promover uma sociedade mais igualitária na questão de gênero. 

Brasil.

A diretora-geral do Senado, Ilana Trombka, gravou no último dia 16 um depoimento para a Campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres promovida pela Caixa Econômica. Ela falou das iniciativas da Casa em favor das mulheres.

“Foi uma honra poder estimular os colegas daquela instituição a se mobilizarem em prol do fim da violência contra meninas e mulheres por meio do exemplo do Senado”, disse Ilana.

No Senado, está à frente da campanha a Procuradoria Especial da Mulher, em parceria com a Secretaria da Mulher da Câmara dos Deputados. A primeira iniciativa está prevista para esta terça-feira (20), no Plenário da Câmara, com a sessão solene Diploma Mulher-Cidadã Carlota Pereira de Queirós, marcada para as 9h.

Na última quarta-feira (21), palestra no auditório do Interlegis discutiu o impacto do autismo na vida da mulher e estratégias para superar a exclusão.Neste ano, a mobilização é voltada para mulheres negras, encarceradas, que enfrentam litígios judiciais e vítimas de assédio e de violência doméstica, além de meninas submetidas ao casamento infantil e vítimas de violência no Ceará. Outro público que a campanha pretende atingir são mães de crianças autistas.

Origem.

Os 16 dias de ativismo começaram em 1991, quando mulheres de diferentes países, reunidas pelo Centro de Liderança Global de Mulheres (CWGL), iniciaram uma campanha com o objetivo de promover o debate e denunciar as várias formas de violência contra as mulheres no mundo, segundo a ONU Mulheres Brasil.

No Brasil, a Campanha ocorre desde 2003 e é chamada 16+5 Dias de Ativismo, pois incorporou o Dia da Consciência Negra, de acordo com a Procuradoria Especial da Mulher. A mobilização termina em 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos. Cerca de 150 países participam da campanha.

A data é uma homenagem às irmãs Pátria, Minerva e Maria Teresa, conhecidas como “Las Mariposas” e assassinadas em 1960 por fazerem oposição ao governo do ditador Rafael Trujillo, que presidiu a República Dominicana de 1930 a 1961, quando foi deposto. (Com informações da Agência Senado)

Programação

25/11 - 16 às 19h - Encontrão de ativismo a violência contra mulher
Local: Praça do BNH
• Capoeira
• Varal de Poesia
• Contação de Histórias
• Batalha do conhecimento
• Comunicação não violenta
• Rodas de conversa sobre saúde da mulher
• Brincadeiras de rua

28/11 - 19:30 -  Hora do Sabbat dedicado aos 16 dias 
Local: RadioSilva.org UNIFESP, Silva Jardim, 136

29/11 - 20h - Roda de rima 013 direcionada
Local: Canal 3 na orla

03/12 - Roda de conversa comunicando a violência da mulher
Local: Universidade Santa Cecília 

06/12 - Filme A Venus Negra -18:30
Local: Sindicato dos bancários

09/12 - Encontrão de ativismo a violência contra mulher
Local: Mercado Municipal  - 10 às 13h
• Angústia Dançada com Juh Maria
• Varal de Poesia
• Batalha de rima 013
• Comunicação não violenta
• Rodas de conversa sobre saúde da mulher
• Brincadeiras de rua

Apoie o Diário do Litoral
A sua ajuda é fundamental para nós do Diário do Litoral. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós do Diário do Litoral temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para o Diário do Litoral continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Artigo

Comissão do Senado aprova lei para proteger crianças em ambientes digitais

Monitorar as atividades de crianças e adolescentes é fundamental para a segurança delas

Nacional

Morre aos 80 anos, ícone do automobilismo brasileiro, Wilsinho Fittipaldi

Wilsinho teve uma parada cardíaca no dia 25 de dezembro e estava internado em São Paulo desde então

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter