Santos Novos Tempos: galeria e estação elevatória irão beneficiar moradores da Zona Noroeste

A prefeitura iniciou a limpeza e a retificação do leito do canal da rua Haroldo de Camargo, para implantação da galeria fechada de 630 metros.

Comentar
Compartilhar
13 JAN 201410h31

A prefeitura já iniciou a limpeza e a retificação do leito do canal da rua Haroldo de Camargo, na Zona Noroeste (divisa com São Vicente), para implantação da galeria fechada de 630 metros de extensão, onde atualmente é uma espécie de vala. Ao final da via, na confluência com a Flor Horácio Cyrilo, também está em andamento a troca de solo, preparatória para a construção da futura estação elevatória com comporta e três bombas, que terá capacidade de armazenamento e vazão de até 6 mil litros de água por segundo para o Rio dos Bugres.

Os trabalhos fazem parte das obras de macrodrenagem da primeira fase do programa Santos Novos Tempos, maior intervenção do tipo no país. Outra frente de trabalho do consórcio Mendes/Terracom, responsável pela obra sob supervisão da Siedi (Secretaria de Infraestrutura e Edificações), se concentra na limpeza e preparação do terreno para a implantação da comporta no caminho São José (Rádio Clube), na direção da rua Kleiber Facundo Leite.

Dragagem
Até o final deste mês terá início a dragagem do Rio São Jorge. A obra integra a segunda fase do ‘Santos Novos Tempos’ e será realizada pela empresa Submar, vencedora de licitação, compreendendo 3 mil metros de extensão, entre a foz do canal da rua Roberto Molina Cintra (divisa do Bom Retiro e Santa Maria) até a confluência dos rios dos Bugres e Casqueiro. A previsão é que sejam retirados 165 mil m³ de materiais submersos e aumento da profundidade do canal de 40 cm para 3 metros. O custo é de R$ 16,4 milhões e a duração de 18 meses.

Destaque
Estação elevatória com comporta: quando a maré estiver alta, a comporta ficará fechada para evitar o avanço do rio. Na maré baixa e chuva, será aberta para vazão da água ao estuário. Já em caso de maré alta e chuva, as bombas serão acionadas para armazenar até 6 mil litros de água e realizar a transposição ao rio.

Comissão transitória irá licitar segunda fase de obras
Mais um passo foi dado para a segunda fase de obras da macrodrenagem. A prefeitura publicou decreto que institui a comissão especial e transitória de licitação, ligada à Siedi (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Edificações), para a contratação de empresa que fará a construção e implantação das intervenções de infraestrutura. Esta etapa contará com recursos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) Drenagem, do governo federal, e o processo seguirá os trâmites da Lei 8.666/1993 (Lei de Licitações), devendo terminar no primeiro semestre.

Foto: Francisco Arrais