Santos anuncia pacote de ações integradas para população de rua

Iniciativa tem como objetivo unir ações de solidariedade da população aos serviços assistenciais oferecidos pelo Município, além de realizar um mapeamento sobre a realidade desse grupo

Comentar
Compartilhar
20 JUL 2018Por Rafaella Martinez08h50
A base de dados será desenvolvida por alunos da Fatec Rubens LaraA base de dados será desenvolvida por alunos da Fatec Rubens LaraFoto: Rodrigo Montaldi/DL

A Prefeitura de Santos, em parceria com a Universidade  Federal de São Paulo (Unifesp), lançou ontem o Projeto Integrado de Pesquisa e Extensão que tem como objetivo mapear o número e as características das pessoas que hoje se encontram em situação de rua. A ação faz parte do Programa Novo Olhar, pacote de medidas na área de assistência social com foco nas ações de acolhimento ­humanizado e na busca por soluções para essa questão. A base de dados será desenvolvida por alunos da Fatec Rubens Lara.

De acordo com o Pró-Reitor Adjunto de Graduação da Unifesp, Fernando Kinker, o estudo envolverá diversos atores sociais, tais como docentes, alunos, trabalhadores e usuários dos equipamentos sociais da Prefeitura.

“A população de rua é o grupo social que mais expressa as desigualdades e contradições e mapear esse público é pensar também em projetos de formação para melhorar a qualidade de vida e tirar essas pessoas dessa condição”, ­destaca.

A pesquisa começa em outubro, com dados preliminares disponibilizados já em dezembro. Quando concluída, renderá um livro para compilação das informações coletadas. O material também será tema de palestras e seminários.

Enfrentar a situação do crescimento do número de pessoas em situação de rua na cidade – levantamento do Diário apontou que em um ano cresceu em 18% o número de pessoas nessas circunstancias na Baixada – e criar respostas de forma coletiva: de acordo com o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Jordão, esse é o principal objetivo do Programa Novo Olhar.

“Vamos acrescentar três pontos no serviço que já existe hoje: o primeiro é o fortalecimento da rede que ganha mais uma equipe de atenção social composta por três operadores concursados que já foram capacitados para exercer essa função e atenderão demandas específicas e emergenciais que surjam ao longo do dia pelos nossos canais de atendimento. Enquanto isso as outras cinco equipes farão o monitoramento de rotina pelas ruas”, aponta Jordão.

Além disso, a Prefeitura passará a adotar um sistema informatizado de ocorrências, atualizando em tempo real as informações das abordagens e os dados dos assistidos pela Secretaria de Assistência Social. “Hoje tudo é anotado em um livro ata, o que onera o serviço. As equipes ganharão tablets para otimizar o tempo”, pondera o secretário, acrescentando que o engajamento da sociedade nesse processo é fundamental para a efetividade das políticas públicas voltadas para população em situação de rua.

“Queremos aproximar grupos altruístas que já fazem esse trabalho e oferecer a estrutura da Prefeitura para que as ações possam ser desenvolvidas de melhor forma. Por exemplo, quem entrega alimentos poderá usar o Bom Prato do Mercado para fazer essa entrega. Isso não significa que eles serão proibidos de desenvolver suas ações independentes e sem esse apoio”, destaca Jordão.

Na visão do prefeito Paulo Alexandre Barbosa, o fenômeno é complexo e sem respostas prontas e a união é essencial para a mudança desse cenário. “Esse dia simboliza a forma como devemos encarar essa questão: em conjunto. É preciso o empenho da Prefeitura, da sociedade civil e das entidades de ensino como a Unifesp, com a qual estamos aditando nosso convênio de parceria para que possamos avançar ainda mais”, afirma.

Confira a lista de locais e público atendido:

Centro Pop: voltado ao fortalecimento de vínculos pessoais, visa o processo gradativo de saída da rua, disponibilizando espaços para higienização e guarda de pertences.

Serviços de Acolhimento: oferecem atendimento especializado, compreensão da história de vida pessoal, fortalecendo vínculos familiares a comunitários.

Albergue Noturno: adultos, idosos e famílias.

Casa das Anas: para mulheres com ou sem filhos.

Seacolhe-AIF: para adultos, idosos e famílias.

Seacolhe-AIF: para adultos e idosos.