Santos 471 anos: Presidente da Câmara diz que Santos precisa saber qual é sua vocação

O parlamentar lembrou que o município já foi turístico e portuário, e que o desafio saber o que norteia o desenvolvimento da cidade

Comentar
Compartilhar
26 JAN 2017Por Da Reportagem07h02
Adilson Júnior citou o VLT e equipamentos da saúde como motivos a se comemorar no aniversário da cidadeFoto: Matheus Tagé/DL

No aniversário de 471 de Santos, o presidente da Câmara, Adilson Júnior (PTB), destacou que a cidade precisa descobrir qual é sua verdadeira vocação.

O parlamentar lembrou que o município já foi turístico e portuário, e que o desafio saber o que norteia o desenvolvimento da cidade.

“Temos o desafio, enquanto capital metropolitana, de conseguir articular uma região metropolitana. Conseguir fomentar a vocação da nossa cidade. Porque uma vez ela foi turística. Será que ela ainda tem essa vocação e trabalha para isso? Ela é uma vocação portuária? Até pouco tempo atrás o Porto foi nosso pulmão grande financeiro e a gente viu que, com essa economia, ela deu um baque. Esse é o desafio que a cidade tem que entender”.

Segundo Adilson, saber a vocação da cidade está diretamente ligado a geração de emprego.

“Tudo isso é ligado a uma coisa que impacta diretamente o santista, ainda mais o jovem, que é o fomento do emprego. É paradoxal. A gente tem um celeiro universitário significativo. Eles (alunos) estão indo para onde? Numa cidade que tem vocação portuária, turística e de comércio, alguma coisa está acontecendo. Aí é que estão os desafios para mais essa primavera da cidade”.

Como desejo para a cidade, o presidente do Legislativo pediu que Santos recupere a autossuficiência financeira.

“A gente teve uma perda significativa na questão financeira. Esperava-se um superávit de 7% no orçamento e fechamos negativos em 11%. Fechamos com o impacto de R$ 150 milhões e que era esperado e não entrou no caixa. Isso reflete no avanço da cidade, nos serviços públicos e, consequentemente, faz essa roda da economia girar. Com a economia da cidade aquecida, você aquece todas as demais cadeias e fomenta emprego”.

Adilson também elencou como grandes conquistas para Santos o VLT, a construção de novas policlínicas e a entrega da UPA Central. “Isso são fatos a se comemorar. Conseguir manter esses padrões, mediante a uma crise que a gente viveu e ainda vive, são fatos que não podem ser ignorados”.