X
Cotidiano

Santo Amaro andou sobre as águas ao salvar garoto de afogamento

Em Guarujá, a primeira manifestação religiosa em louvor a Santo Amaro aconteceu em 1545, dois anos após o batismo da ilha

Também conhecido como Mauro, Santo Amaro nasceu em Roma, na Itália, no século VI / DIVULGAÇÃO

Conhecido principalmente pelo milagre de salvar um garoto de um afogamento andando sobre as águas, Santo Amaro terá seu dia celebrado no próximo sábado (15), em Guarujá - feriado municipal instituído por meio da Lei Federal nº 605, de 5 de janeiro de 1949. Também conhecido como Mauro, Santo Amaro nasceu em Roma, na Itália, no século VI. Entrou muito cedo para a vida religiosa e se tornou beneditino aos 12 anos de idade. Foi apontado como um exemplo de virtude, obediência e abertura à ação do Espírito Santo.

O milagre mais famoso do santo – o qual teria sido um dos grandes responsáveis pela sua canonização – é uma visão de São Bento, de um jovem se afogando em um pequeno rio. Bento, então, teria chamado Amaro e pedido a ele que tentasse salvar o garoto. O santo focou de tal modo na realização desta tarefa que, sem notar, andou sobre as águas, resgatando o menino.

Amaro foi enviado por São Bento à Gália para fundar um mosteiro. Ele o governou por um espaço de 40 anos e lá faleceu aos 72 anos, vítima de uma peste que também levou muitos dos seus monges.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Em Guarujá, a primeira manifestação religiosa em louvor a Santo Amaro aconteceu em 1545, dois anos após o batismo da ilha, quando o comerciante português José Adorno mandou construir uma capela para o santo. Apesar de não haver qualquer vestígio desse templo, acredita-se que ele teria sido erguido na localidade hoje conhecida como Santa Cruz dos Navegantes.

Confira a programação completa aqui

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Saúde

Insônia em crianças pode ser tratada com higiene do sono, diz médico

Rotina e hábitos antes de dormir ajudam a evitar a insônia em pequenos

Polícia

Ex-padre é condenado a 21 anos de prisão por abuso sexual a coroinhas

A Justiça acolheu parcialmente denúncia do Ministério Público de São Paulo. A decisão foi publicada no Diário de Justiça desta sexta-feira, 20

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software