X
Cotidiano

Santistas gastam R$ 35,58 para almoçar fora de casa

Pesquisa aponta que preço na cidade ficou acima da média nacional, que é de R$ 34,14. Mesmo assim, reajuste ficou abaixo da inflação

Santistas desembolsaram R$ 35,58 por almoço em 2017 / Rodrigo Montaldi/DL

Os trabalhadores santistas que usam vouchers refeição (cartão eletrônico ou papel) desembolsaram R$ 35,58 por almoço em 2017. É o que revela a pesquisa Preço Médio da Refeição divulgada pela Associação Brasileira das Empresas de Benefício ao Trabalhador (ABBT). O valor está acima da média Brasil, que é de R$ 34,14.

Em 2016, a pesquisa apurou que o preço médio do almoço na cidade foi de R$ R$ 35,16. Em relação ao ano anterior, houve aumento de 1,19%. Mesmo assim, o reajuste ficou abaixo da inflação. Veja abaixo o comparativo entre as cidades paulistas pesquisadas. Santos é a terceira cidade mais cara do estado.

Total Brasil - 34,14

Região Sudeste - 34,49

Barueri - 38,20

Ribeirão Preto - 36,77

Santos - 35,58

Jundiaí - 35,39

Campinas - 34,43

São Paulo - 34,33

Santo André - 33,97

São Caetano do Sul - 33,24

Guarulhos - 32,40

Sorocaba - 31,97

São Bernardo do Campo - 31,59

Taboão da Serra - 28,97

Osasco - 28,84

Diadema - 27,40

São José dos Campos - 27,19

Aumento ficou acima da inflação

A inflação oficial medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechou 2017 com alta acumulada de 2,95%. É a menor taxa desde 1998. De acordo com o IBGE, que calcula o IPCA, os alimentos consumidos em casa (-4,85%) foram responsáveis pela queda na inflação. Entretanto, a alimentação fora de casa se manteve em alta no ano: + 3,83%, segundo o IPCA. "Acreditamos que outros custos, como gás de cozinha, luz e água, por exemplo, pressionaram os estabelecimentos a fazerem o repasse para o preço final aos consumidores", afirma Jessica Srour, diretora-presidente da ABBT.

Veja os preços apurados por região em compração à média nacional:
    
Brasil - 34,14
    
Sudeste - 34,49
    
Sul - 33,48
    
Nordeste - 33,39
    
Centro Oeste - 32,87
    
Norte - 32,77

De acordo com a pesquisa, a cidade mais cara é Florianópolis (SC): o preço médio da refeição completa é de R$ 40,85. Já Campo Grande (MS) registrou o menor preço: R$ 26,23. "Normalmente, cidades que são destinos turísticos têm preços mais altos que as demais. Por isso a pesquisa é importante. Ela auxilia os departamentos de recursos humanos das empresas a conceder o benefício alimentação com valor adequado para cada região, garantindo que o trabalhador se alimente de forma adequada e saudável", ressalta Jessica.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Praia Grande

Golfinho é encontrado morto na orla de Praia Grande

Mamífero foi encontrado em avançado estado de decomposição por um pescador, que acionou as autoridades

Polícia

Câmera registra 1º caso de PMs de SP matando suspeito desarmado

Existem ainda outros dois casos semelhantes em andamento sendo analisados, mas ainda sem conclusão

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software