Santa Casa suspende atendimento ao servidor

São 26 mil pessoas, entre servidores da Prefeitura e da Câmara de Santos. Administração está tentando acordo com a Provedoria para regularizar situação

Comentar
Compartilhar
12 SET 2018Por Da Reportagem09h00
A Santa Casa suspendeu o atendimento de urgência e emergência a 26 mil pessoasA Santa Casa suspendeu o atendimento de urgência e emergência a 26 mil pessoasFoto: Rodrigo Montaldi/DL

Mais uma vez, por falta de rapasses, a Santa Casa de Misericórdia de Santos suspendeu o atendimento de urgência e emergência a 26 mil pessoas, entre servidores da Prefeitura e da Câmara de Santos, além dos dependentes. Após conversa com servidores, o diretor do Sindicato dos Servidores Estatutários Municipais (Sindest), Josias Aparecido da Silva, informa que vários médicos e clínicas pediram baixa da Caixa de Assistência ao Servidor Público Municipal (Capep).

A Capep é mantida pelo funcionalismo, com desconto nos holerites, e pela Prefeitura. Conselheiro fiscal da autarquia, Josias apurou que há faturas atrasadas há mais de seis meses com a rede conveniada. Para ele, “a má gestão é a marca da Capep”.

Em julho de 2017, a Santa Casa e outros hospitais da cidade suspenderam o atendimento pelo mesmo motivo. “Até quando?”, pergunta o sindicalista. O presidente do Sindest, Fábio Marcelo Pimentel, verificou que a caixa “tem represado vários procedimentos cirúrgicos e exames ambulatoriais”.

Segundo ele, a Capep só tem aceitado pedidos de exames se o médico for credenciado, “o que é um absurdo e tem causado muitos problemas à família servidora. Quando o médico se descredencia, descontente com o não pagamento das consultas, muita gente dá continuidade ao tratamento com recursos próprios”, explica Pimentel.

Ele adianta que, nesses casos, a Capep não autoriza os exames laboratoriais ou de imagens. “Ora, o médico não tem que ser credenciado. O servidor tem esse direito e ponto”, pondera, informando ainda que a Prefeitura não repassa as verbas à Capep e adianta que procurá de novo o Ministério Público, que já abriu inquérito anteriormente.

Prefeitura

A Prefeitura garante que não há atraso no repasse à Capep-Saúde, uma vez que os valores consignados em folha dos servidores tem sido repassados regularmente. Com relação à suspensão dos atendimentos pela Santa Casa, a autarquia está em tratativas com a Provedoria do hospital, sendo que a regularização ocorrerá ainda nesta semana. Vale ressaltar que não procede a informação de pedidos de baixa da Capep-Saúde.